[RailsConf 2010] - Video Entrevistas - Parte 2

2010 June 17, 15:03 h - tags: interview railsconf2010

Para esta segunda parte, reservei para falar sobre os ganhadores do Ruby Heroes Awards. Desde 2008 o Gregg Pollack, da EnvyLabs, sobe ao palco para premiar 6 rubistas que fizeram diferença na comunidade.

Dos 6 ganhadores deste ano, acabei não tendo tempo de falar com o espanhol Xavier Noria e nem com o brasileiro José Valim, que não estava presente na conferência. Mas pretendo falar com eles com mais calma, via video conferência provavelmente, para colocá-los nesta galeria.

Aaron Patterson

Também conhecido como @tenderlove, Aaron mudou o cenário de parsers no mundo Ruby com suas contribuições em projetos como o Psych, o novo parser de YAML do Ruby 1.9. Mais do que isso, se você trabalhar com XML hoje, provavelmente está usando por baixo o projeto Nokogiri. Antes disso tínhamos o REXML e o Hpricot, mas o Nokogiri foi quem trouxe performance nessa área. Outro projeto que ele contribuiu foi o Mechanize. Com isso temos hoje ótimos parsers para os principais formatos da internet, especialmente se contar que o parser de JSON do Rails basicamente é o mesmo parser de YAML dele.

Gregory Brown

Também conhecido como @seacreature e pelo Ruby Mendicant. Eu já havia usado um projeto seu chamado Ruport que usa o antigo PDF Writer para gerar relatórios em PDF. Mas o PDF Writer estava ficando meio abandonado. Então o Gregory decidiu criar uma nova fundação para geração de PDFs e disso nasceu o Prawn, uma biblioteca mais moderna e mais capaz. Além disso ele escreveu o livro “Ruby Best Practices”, que eu recomendo a todos que querem melhorar seu Ruby.

Nick Quaranto

Também conhecido como @qrush, ele é jovem e trabalha na Thoughtbot, a empresa que já nos trouxe diversos projetos open source importantes como Paperclip ou Shoulda. O Nick tinha uma reclamação: publicar gems era um processo tedioso via o antigo RubyForge.net.

Hoje temos Github que mudou da água para o vinho o processo de trabalhar com open source, mas para publicar gems ainda era preciso usar o caminho antigo. Então o Nick criou o Gemcutter.org que rapidamente evoluiu e tomou o lugar do antigo Rubygems.org, se tornando o repositório principal de gems da comunidade. Agora com um simples “gem push” conseguimos publicar nossas gems sem problemas. A dobradinha Github + Gemcutter literalmente modernizou o processo de trabalho open source dos rubistas.

Wayne E. Seguin

Este é fácil: @wayneeseguin. Wayne ficou mais conhecido por causa de seu projeto mais recente, o RVM. Com ele é possível ter diversas versões e implementações de Ruby rodando na mesma máquina. Podemos ter Ruby 1.8 e Ruby 1.9 e JRuby rodando no mesmo ambiente. Melhor ainda: podemos configurar cada projeto nosso com cada uma dessas versões. Um simples comando “rvm ruby-1.9.2” é suficiente para mudar de implementação a quente. Isso mudou nosso jeito de codificar e facilitou ordens de grandeza a organização de nossos projetos. Mais do que isso: facilitou o processo de ter aplicações web que dependem de implementação de Ruby diferentes rodando todos no mesmo servidor. Literalmente digno de um prêmio.

Comments

comentários deste blog disponibilizados por Disqus