Rails on Vim

2009 January 03, 21:25 h - tags: vim screencasts obsolete

Update 2013: Não estou usando mais a configuração mostrada aqui. Vá direto para o YADR que é um conjunto melhor e mais moderno de dotfiles.

Update 04/27/09: eu fiz alterações importantes que você pode ver aqui

Faz tempo que venho quebrando a cabeça sobre qual a melhor maneira de se programar com Ruby e Rails fora do ambiente Mac. Principalmente no Windows. O Netbeans e o Eclipse Aptana são boas opções e estão evoluindo rápido, mas eu sempre vou achá-los muito mais pesados do que necessário.

Sempre digo que basta um bom editor de textos e o terminal/linha de comando. Porém, no Windows não há tantos editores competentes como o Textmate. E mesmo no Mac, há quem não queira pagar pelo Textmate também.

Recentemente alguns Railers começaram a se voltar ao Emacs, incluindo Geoffrey, que fez um screencast sobre isso para o Peepcode. Sinceramente, eu ainda não consigo gostar muito do Emacs. É absolutamente questão de gosto pessoal, mas eu sempre preferi o Vim.

Por outro lado, eu nunca tinha parado para tentar configurar o Vim decentemente. Gastei uns 2 dias remexendo a Web em busca das peças que tornariam o Vim mais parecido com o Textmate. No próprio Github existem várias configurações. Eu peguei um deles que achei interessante e fiz meu próprio fork. Passei o dia todo convertendo snippets do Textmate para o NERDSnippets do Vim, incluindo os bundles de Ruby, Rails, Javascript e jQuery. O resultado é algo muito próximo, porém a engine de snippets do Textmate é mais avançada que o NERDSnippets. A adaptação do plugin FuzzyFinder do Jamis Buck dá um substituto razoável para o navegador de arquivos do Textmate também.

Para instalar no Mac, primeiro recomendo não usar o Vim que vem por padrão porque ele não tem com os bindings de Ruby que precisamos. Baixe o MacVim. Daí no seu ~/.bash_profile coloque o seguinte:

alias vim=“/Applications/MacVim.app/Contents/MacOS/Vim”

1
2
3
4
5
6
7
No Windows, baixe o "gVim":http://www.vim.org/download.php#pc. No Mac e no Linux, você deve ter um arquivo .vimrc e um diretório .vim no seu home (ex. /Users/akitaonrails). No Windows você deve ter um arquivo _vimrc e um diretório vimfiles também no home (ex: c:\Documents and Settings\akitaonrails, no Windows XP ou c:\Users\akitaonrails, no Vista e no Windows 7).

No Linux e no Mac, no seu diretório home, faça:

<macro:code>git clone git://github.com/akitaonrails/vimfiles.git ~/.vim
cp ~/.vim/vimrc ~/.vimrc

No Windows, no seu diretório home, faça:

git clone git://github.com/akitaonrails/vimfiles.git vimfiles
copy vimfiles\vimrc _vimrc
copy vimfiles\snippets.vim.win32 vimfiles\after\plugin\snippets.vim
-

Pronto, é só isso. De dentro do Vim, digite “:help rails” para saber as opções que você tem. Comandos como :Rgenerate emulam o script/generate, :Rake emula o rake, :Rscript emula os script/* e assim por diante.

Ctrl+t é o FuzzyFinder, o equivalente ao Command+T do Textmate. O comando \+p abre o Nerd Tree que é parecido com o Project Viewer do Textmate. Navegue pelos diretórios e arquivos apertando a tecla “o”. E a partir dos arquivos do seu projeto Rails experimente usar as mesmas abreviações do Textmate. Para descobrir todas as abreviações, navegue pelo diretório .vim/snippets. Dentro haverá sub-diretórios para cada tipo de arquivo. Por exemplo, .vim/snippets/ruby-rails/hm.snippet significa que se você digitar “hm[tab]” ele ativará o “has_many” (veja no meu screencast).

E para aprender um pouco mais de como usar os modos de edição do Vim, leia o Why, oh WHY, do those #?@! nutheads use vi?. O Vim é bastante poderoso e tem diversas opções que rapidamente devem fazer sentido à medida que você for usando.

No Mac, acho que eu ainda não vou sair do Textmate tão cedo, mas se precisar usar Linux ou Windows, com certeza esta será minha opção padrão.

Alguém tem mais dicas legais de Vim para compartilhar? Não deixem de comentar.

Comments

comentários deste blog disponibilizados por Disqus