Novidade! Akita na Surgeworks

2007 May 16, 21:03 h - tags: surgeworks

(english version here)

Pessoal, vocês devem ter notado que meu blog anda meio “parado”. Para alguns eu expliquei que estou em processo de saída da consultoria onde eu estava, a Balance. E o projeto que eu tocava está me dando bastante trabalho para preparar minha saída. Estava tão ocupado que trabalhei feriado e fim de semana. Por isso a pausa no blog. Esta é minha última semana.

Mesmo assim, semana passada consegui publicar as entrevistas com Chad Fowler e David Black. E eis que me aconteceu algo inesperado! Eu estou saindo da Balance e já tinha combinado outro trabalho pra mim junto a um amigo meu, estava tudo certo, só faltava assinar o contrato.

Eis que sexta feira passada eu fui contactado por um americano, Carl Youngblood. Ele viu o post no site do Chad sobre a entrevista. A coincidência é que ele se formou em Letras nos Estados Unidos, e justamente em português! Ele é fluente em português do Brasil, escreve perfeitamente bem, português informal mesmo! Nada macarrônico! Com isso ele conseguiu ler meu blog, meus artigos, meus esforços e entendeu que talvez eu pudesse ajudá-los!

Depois de muitos e-mails trocados, encontramos uma sinergia muito legal. Carl acabou de ser convidado a se juntar à Surgeworks pelo seu amigo Dane Falkner, de Utah, para liderar uma frente de Rails. Eu já havia conversado com outros americanos como Geoffrey Grosenbach, e há muita demanda de Rails agora. Até o ponto que parece que tem mais demanda de trabalho do que profissionais no mercado americano!

A Surgeworks é uma consultoria com experiência em outsourcing. Eles tem equipes na Itália e Índia. Não é nenhuma gigante como IBM, e se mostraram sérios, honestos, estáveis e tem uma fila de projetos para entregar. Eu não me importo com “etiquetas” como “IBM”, “Accenture”, “SAP”. Já trabalhei nesse mercado e conheço seu atrapalhado “modus operandi”. Não gostaria de voltar para esse mundo.

Depois de muitas conversas, eles decidiram me propor uma contratação para trabalhar remotamente para eles, em tempo integral, principalmente em projetos envolvendo Ruby e Rails!

Meu objetivo agora é realizar o melhor trabalho possível para eles. Credenciais não importam, certificados, diplomas, se eu não for capaz de entregar os projetos dentro do prazo, custo, escopo e, principalmente, da qualidade que eles querem mostrar a seus clientes. Com o tempo esse modelo de offshore outsourcing pode se expandir! Quem sabe? Só o tempo – e inicialmente minha dedicação pessoal – poderá dizer.

Então, tive que quebrar o compromisso que eu já tinha com aquele meu amigo com que eu ia originalmente trabalhar (e ele é um grande amigo, tanto que entendeu totalmente meus motivos e me deu apoio nessa jornada). Foi uma escolha difícil: por um lado eu poderia ir para um emprego CLT, garantido, estável, ganhando razoavelmente bem, com um trabalho não tão difícil e tocar minha vida, simples, devagar e rotineira. Do outro lado, recebo uma proposta de americanos que nunca vi frente-a-frente e que teria que confiar, com o bônus de poder finalmente trabalhar em Rails. Vejam, eu comecei a olhar para Rails no final de 2005. Até hoje não vi grandes avanços no Brasil nesse ramo e não estava esperando poder trabalhar em clientes com Rails em menos de 1 ou 2 anos à frente.

Decidi seguir meu caminho. Eu cutuquei a onça. Fiz o livro, fiz o blog, venho tentando instigar a comunidade. Conheci grandes pessoas na comunidade americana. Decidi ante-ontem: a partir de agora farei parte da família Surgeworks!

Sei que não é hora de sermões nem nada, mas finalmente talvez eu tenha um resultado palpável do meu esforço em investir meu tempo pessoal aprendendo diversas tecnologias, mesmo sem um “projeto” onde aplicar, em gastar todo meu tempo vago me tornando fluente em inglês e toda minha experiência como consultor, que me levou a ser mais consciente com assuntos de gerenciamento e coisas de legislação.

Ninguém deve estudar apenas com objetivos de curto prazo. “Vou estudar pra esta certificação apenas para conseguir emprego amanhã”. Foi um longo processo que levou mais de 15 anos, um pequeno passo de cada vez. 15 anos acumulados de estudos autodidatas nas mais diferentes tecnologias, conceitos, disciplinas, etc. Foi o que disse nos meus artigos Um Desabafo e Seja Arrogante, e que eu venho discutindo com os excelentes convidados nas minhas entrevistas publicadas. Dr Nic, Geoffrey, Chad e David já afirmaram isso: risco, esforço, dedicação, estudo, vontade de melhorar: é o que importa.

Nada é garantido, este não é o ponto final, apenas mais um passo na minha jornada. A Surgeworks reconheceu meu potencial e o mínimo que posso fazer é cumprir suas expectativas. Se eles vão continuar demandando meus trabalhos vai depender única e exclusivamente do que eu fizer daqui pra frente. Vamos ver!

Espero que isso os ajude a entender o que eu sempre quis dizer. Mesmo com todo o esforço do mundo, não existe garantias que amanhã uma empresa de fora irá querer contratá-lo. Mas eu acredito que nenhum esforço é em vão. Ninguém deve seguir receitas. Não existe uma receita. Ninguém pode dizer o que você deve fazer. Apenas faça! Eu posso quebrar a cara ainda, mas pelo menos não vou me arrepender de não tentar.

Comments

comentários deste blog disponibilizados por Disqus