[Akitando] #92 - RANT de 200K! | Upgrade do meu PC

2021 February 11, 17:00 h

DESCRIÇÃO

Depois de 2 anos e meio chegamos aos 200 mil assinantes!!

No video de hoje vou começar com um mini-Rant só pra não perder o costume mas a maior parte do vídeo vai ser apresentando e discutindo os upgrades que eu fiz no meu PC de edição principal e porque eu escolhi determinados componentes.

Todo mundo sempre me pergunta sobre teleprompter, camera, meu setup, então hoje vou mostrar um pouco disso.

ÍNDICE:

LINKS:

SCRIPT

Olá pessoal, Fabio Akita

Hoje o video vai ser bem leve comparado com o normal do canal. Faz algumas semanas que ando fazendo upgrades técnicos no meu PC de edição e no meu setup em geral, e acho que posso fazer algumas tangentes aproveitando o assunto. Tava querendo soltar logo esse material porque ando brincando com isso desde antes do natal de 2020. E se nada der errado deve coincidir com o canal atingir a marca dos 200 mil assinantes. Acho que não tá ruim pra pouco mais de 2 anos de canal.

O primeiro video que soltei em 2021 foi meio que um resumão dos conteúdos mais recentes do canal e acho que esse vale ser um resumão dos bastidores do canal. E claro, o começo vai ser um mini-rant mas se quiser pular só pra parte dos upgrades, você pode pular pra esse tempo aqui embaixo, ou usar os bookmarks na descrição do video.

(...)

Aliás, o YouTube deve ter ficado mesmo com medo de eu quebrar a placa de 100 mil assinantes, porque já passamos dos 200 mil e até hoje necas. Se você não sabe do que estou falando, assista a partir do minuto 20:36 do vídeo de Aprendendo a Aprender pra entender.

Tanto pra quem é novo no canal ou quem já acompanha faz tempo, acho que vale a pena eu repetir o objetivo do canal. Vai ser um mini-rant mas já já eu volto a falar do meu PC. Vamos lá: Eu não vendo cursos, eu não vendo coaching, eu não vendo nada aqui. Eu venho sistematicamente recusando todas as ofertas de patrocínio de cursos e produtos que já me mandaram.

O canal é feito pra ser meio que um backup do meu cérebro. Eu expliquei isso num dos primeiros videos do canal, o Diário de Henry Jones. Eu não estou aqui pra defender marcas, evangelizar ferramentas, ou qualquer coisa assim. O canal foi originalmente projetado pra ter um único espectador, que seria eu mesmo. E se no caminho for útil pra mais uma pessoa que seja, ele já serviu seu propósito.

Eu não monetizo o canal by design. Por 2 anos eu mantive a configuração de monetização desligada, mas acabei ligando porque o próprio YouTube começou a forçar Ads mesmo eu não querendo. Então eu liguei e o que o canal está arrecadando, que é menos de 300 dólares por mês, eu tento doar pra projetos educacionais sem fins lucrativos. Eu explico isso em detalhes no video acima. Aliás, eu quase não tenho recebido sugestões de projetos. Se você conhece algum professor ou profissional que toca projetos educacionais e precisa de ajuda, peça pra mandar detalhes neste e-mail aqui embaixo: akitando arroba codeminer42.com.

Este canal é uma extensão da minha casa que eu escolhi deixar aberto pra vocês. E na minha casa tem algumas regras: eu produzo conteúdo que eu mesmo quero consumir e não o que vai necessariamente atrair mais público. "Eu" sou o público alvo. Eu não monetizo nem aceito patrocínios exatamente pra ninguém achar que pode vir chutando a porta e demandando coisas. Vai fazer o que? Xingar meu patrocinador, que sou eu mesmo? Tentar me cancelar pra diminuir monetização que é 100% pra doação? Quer uma plataforma pra falar, faz a sua. 2 anos atrás eu comecei sozinho do zero também.

No contexto de ser minha casa, pensa só, vira e mexe aparece gente mau educada, sabe aquele cara folgado que você convida pra sua casa e ele entra com a bota suja de lama pisando no seu tapete, chutando seu gato do sofá e abrindo sua geladeira pra comer suas coisas e ainda reclama que não tem a marca de cerveja que ele gosta? Pois é. babaca eu xingo e expulso, é simples assim. Famoso: caguei.

Eu não sou influencer. Eu não vendo nada. E desde o começo eu fiz videos inteiros dizendo isso. Por exemplo, nos de Matando Semi-deuses eu mando um aviso: eu não considero ninguém um semi-deus, não sigo ninguém cegamente nem preciso ser validado por ninguém. E isso foi um aviso pra vocês não me enxergarem como um semi-deus também, eu sou só um cagador de regras. E no video de Não Terceirize suas Decisões eu aviso de novo. Se não ficou claro: eu não sou dono da verdade. Eu explico o porquê das coisas por experiência própria. E explico porque algumas opções podem limitar suas escolhas depois. Mas suas decisões são só suas. Só porque eu não falei bem da sua decisão, não torna ela menos certa pra você.

E aviso pela terceira vez: se você precisa que eu valide alguma opção que você escolheu, senão se sente "mal" ou "ofendidinho", mas que porcaria de opção essa sua heim? Qualquer opção que precisa alguém passar a mão na sua cabeça pra dizer "poxa, que bacana, vai dar tudo certo" eu diria que é uma opção bem bosta. De novo: não terceirize suas opções de linguagem, plataforma, ferramentas, cursos, carreira pra ninguém, nem pra mim. Faça perguntas, mas não faça porque alguém famoso disse. Vender coco na praia não é menos nobre que ser programador em Silicon Valley. Só você sabe das suas próprias limitações e seus objetivos de vida. E eu não sou pai de ninguém.

Isso tudo dito, vocês já devem ter percebido que eu escolho falar sobre um caminho muito específico de programação: o mais difícil. Os videos de Rant são os mais visualizados, e a palavra "Rant" significa "reclamar pra cacete", como o mais recente que eu xingo mesmo programador chinfrim que faz sistema cheio de buraco pra site de governo, que você pode assistir no link acima. Apesar de trazer tráfego, meu canal não foi feito só pra rants. Mais um motivo de eu cagar pra monetização senão podia acabar só fazendo videos assim. É mais pra eu ventilar na hora mesmo.

Eu prefiro falar sobre a história e as bases da computação, coisa que a maioria que se diz programador desconhece e eu acho que ignorar essa base é limitar demais sua carreira e por isso eu tento preencher algumas dessas lacunas. Eu comecei com uma playlist inteira no começo de 2019 chamado Começando aos 40, respondendo uma pessoa que aos 40 anos queria mudar de área pra programação. Renomeei essa playlist pra Programação pra Iniciantes e ele já tem 22 videos. Tem outra playlist mais completa que inclui mais desses videos chamado "Programming Concepts" que já tem quase 40 videos. Ou seja, no mínimo uns 40 dos 90 videos que já postei é técnico e não de ranting.

E tem outra playlist que já tem mais de 30 videos que é a Career, onde eu falo sobre faculdade, mercado de TI, agilidade e muitos outros conceitos não-técnicos que eu não sabia quando eu estava pra entrar na faculdade, no meio dos anos 90. Por que eu fiz esses videos? Pra responder uma vez só todo mundo que fica me mandando as mesmas perguntas sobre "que cursos deveria fazer", ou "que faculdades deveria fazer", "quais áreas de TI vale a pena" e tudo mais. Repetindo, eu não sei o que é melhor pra você. Ninguém sabe. Não pergunte, pesquise. Nesses videos eu tento dar uma base de referência, mas é impossível qualquer um dizer o que é melhor pra você, individualmente.

Além da minha própria carreira, eu conheci dezenas de programadores, eu já avaliei e contratei literalmente centenas de programadores, já vi gente desde que saiu da faculdade até quase se aposentar. São quase 30 anos de história. E a única constante é que nunca vi constância. A história de cada um é diferente. Portanto você não deve nunca decidir alguma coisa "porque o Akita mencionou". Repetindo outra coisa que eu sempre falo, é que nem o moleque que diz que vai largar faculdade porque Bill Gates e Mark Zuckerberg largaram faculdade. Ow, seu bostinha, o Gates largou Harvard. O dia que você for capaz de entrar em Harvard a gente conversa.

Voltando aos bastidores: muita gente ainda me pergunta e sim, eu escrevo scripts pra cada video. Este mesmo de agora, eu estou lendo de um teleprompter na frente da minha camera, como vou mostrar agora, tão vendo? Tem vários apps e sites que fazem isso e não tem nenhum motivo particular pra ser esse mas eu uso um pago chamado easyprompter.com. O texto reflete no espelho e eu configuro numa velocidade que eu consigo ler, nem lento demais, nem rápido demais. Tem gente que acha que eu falo devagar, mas desculpa galera, esse é o máximo. Quando eu tento falar mais rápido eu erro mais, daí a gravação demora mais e dá mais trabalho pra editar depois.

E antes que perguntem, sim, eu publico todos os scripts no meu blog, akitaonrails.com. Vocês vão notar que todos os cortes do video tem exatamente o comprimento de cada parágrafo. É assim que eu escolhi editar. Então eu escrevo os textos exatamente como eu vou falar, com erros de português e tudo que encaixa no jeito mais natural de falar. Fica a dica: não escrevam textos da forma correta escrita e deixar pra improvisar gírias e maneirismos na hora de gravar, só facilita erros e de novo, aumenta o tempo de gravação. Eu só gravo quando o texto tá exatamente como vou ler depois.

Povo queria que eu fizesse mais vídeos por mês e perguntam porque eu não terceirizo a edição, achando que é isso que consome mais tempo. A resposta é simples, a edição não demora tanto. Uma vez planejado direito, a edição em si nem é tão chato, eu até gosto de fazer. A gravação é um saco e demora, pra um vídeo de 30 minutos, se eu errar demais, pode levar 1 hora ou mais gravando. Os videos de 1 hora, às vezes levava 3 horas pra gravar. Por isso tenho tentado segurar um pouco. Mas o que mais demora na real é escrever os scripts.

Sendo mais correto: na hora que eu tenho o texto na cabeça, digitar é super rápido, eu consigo digitar 15 páginas ou mais em 2 horas. E 15 páginas é suficiente pra um video de 30 minutos mais ou menos. O problema é a inspiração sobre o que escrever. E não é falta de tema, eu tenho temas pra vários videos já na cabeça, mas eu demoro muito pra decidir "como" eu quero apresentar determinado tema. É normal eu começar a escrever algumas páginas, jogar tudo fora e começar tudo de novo várias vezes. Ainda bem que eu não sou escritor profissional, que se não escrever morre de fome, senão eu morria de fome.

Os tais videos de ranting são os mais fáceis. Eu sou reclamão por natureza, e pra piorar eu sou consultor por profissão. E o trabalho de um consultor é achar problemas. Em tudo eu acho problema, então é muito fácil fazer videos de 1 hora reclamando. Os mais chatinhos são justamente os técnicos porque se eu não tomar cuidado pode ficar super maçante e tedioso de assistir. Daí demora bastante pra eu saber o que eu quero dizer. Eu preciso achar uma narrativa divertida que consiga carregar conceitos técnicos chatos.

No começo do canal eu tava ainda em dúvida no formato. Tinha ouvido falar aqueles mitos que o certo era fazer videos curtos e frequentes. E no começo eu cheguei a fazer 2 videos de 15 minutos por semana. Mas eu achei horroroso esse formato. Apesar de me esforçar pra falar pouco, 15 minutos é muito pouco pra explicar alguma coisa mais complicada. Você acaba tendo que assumir que quem está assistindo já tem uma base de conhecimento, mas eu gosto de pelo menos deixar dicas pros iniciantes conseguirem parar pra pesquisar no meio.

Os videos funcionam melhor se vocês assistirem os mais recentes depois de terem assistido os anteriores, porque a cada novo video eu uso o fato de eu já ter explicado o que preciso nos anteriores. Daí eu deixo o link nos cards que aparecem no topo do video e qualquer conteúdo extra sempre deixo linkado nas descrições, então não deixem de ver isso também. A idéia é que se você assistir tudo com calma, um video vai puxando o próximo. Por exemplo, no video de rant de segurança eu xingo o animal que grava senhas abertas em banco de dados. E nos videos de criptografia que fiz meses antes eu explico o jeito certo de fazer isso.

Também por isso, se você é programador mais experiente, deve estar notando que ainda faltam videos sobre algoritmos, arquiteturas distribuídas, design patterns, otimização de sistemas, redes. Mas isso porque eu ainda não cheguei lá, eu vou chegar. Então o desafio dos videos tem sido eu falar assuntos que são pra iniciantes com twists que mesmo alguns mais experientes talvez não saibam, como a história por trás de cada coisa ou algo mais geek. Por isso escolhi falar de introdução à computadores, que é um tema chatinho pra quem já sabe, usando videogames, que é divertido pra qualquer um.

E sim, vocês também já devem ter notado que eu procuro falar os termos em inglês em vez de tentar traduzir tudo pra português. Lá no começo do canal eu fiz um video inteiro falando disso, mas sim, é totalmente possível ter uma carreira em programação sem saber nem essa fundação que eu tanto falo e sem saber inglês também. Dentre as várias histórias de pessoas que eu conheci, estavam casos assim. Mas de novo, vai ser mais limitado e com menos oportunidades. Se você é novo e tem a opção de escolher, porque escolher o caminho mais fácil e, portanto, mais restrito? Mas, você é livre pra fazer diferente e não sou eu que vou julgar. Afinal não sou eu que pago suas contas. Só nunca diga que ninguém avisou.

Do lado técnico, depois de escrever os scripts, revisar, editar, cortar e rearranjar, chega a hora de gravar. Nos primeiros videos eu ainda não tinha uma câmera. Por acaso, numa das minhas viagens, eu tinha comprado uma DJI Osmo que é uma camera estabilizadora. A única razão de eu ter usado ela é porque ela consegue ficar parada de pé, daí eu colocava na frente do meu monitor e conseguia ir lendo atrás dela. E era um saco porque mesmo a estrutura da câmera sendo fina, ela ainda cobria parte das palavras.

Quando eu vi que ia mesmo continuar gravando eu comprei uma camera de verdade com tripé e teleprompter, tudo no mercadolivre mesmo. A camera foi uma Canon EOS Rebel T7i e o teleprompter não tem marca, é um desses genéricos. Inclusive o primeiro eu esbarrei, derrubei e quebrei o espelho. Deveria ser sete anos de azar? Mas não foi. Por acaso os últimos dois anos pra mim foram os mais sossegados que eu tive, já os três anos antes de começar o canal foram um inferno na terra. Mas isso é história pra outro dia.

Essa Canon T7i era Full HD, resolução de 1080p que é mais que suficiente pra videos no meu formato. Muitos iniciantes não consideram que video ocupa muito espaço. O último video antes deste, a pasta de materiais bruto tem 12 gigas. Todos os videos que eu gravei soma mais de 2 terabytes. Então uma coisa que eu vim investindo com o tempo foi em discos maiores e rápidos. No meu PC hoje eu deixo os materiais pra edição num Samsung SSD 860 QVO 4TB.

Sim, um SSD de 4 terabytes, deve durar mais 1 ano até eu ter que começar a usar outro drive. Se o HD for muito lento, na hora de editar vai ser lento. Eu tenho um HD mecânico normal Seagate onde eu coloco coisas que não depende tanto de velocidade, como minha pasta de jogos do Steam. Esse HD mecânico tem velocidade máxima de leitura e escrita sequencial de uns 160 megabytes por segundo. Não é ruim, mas eu prefiro mais veloz. O SSD 860 QVO chega a mais de 500 megabytes por segundo de velocidade sequencial.

Pra quem não sabe. SSDs mais baratos se ligam via a interface SATA-III na placa mãe. Essa interface serial tem velocidade teórica máxima de 6 gigabits por segundo, que é mais ou menos 600 megabytes por segundo. Cada geração de SATA dobra a anterior e permanece compatível, o SATA original era de 1.5 gigabits por segundo, o SATA-II era 3 gigabits e o SATA-III é 6 gigabits. Então o meu SSD 860 QVO a mais de 500 megabytes por segundo tá perto do limite da interface SATA-III e é mais que suficiente pra edição de video.

De curiosidade, recentemente adicionei um drive novo de boot onde deixo o Windows 10 e os programas instalados, daí já é um passo acima de SSD SATA pra SSD PCI Express ou mais como NVME pra slots M.2. SATA é uma interface antiga, feita pra HDs mecânicos, disquetes, CD-ROMs. NVME é uma interface pensada pra SSDs, solid state drives, ou seja, sem partes mecânicas móveis. E ele se conecta a lanes de PCI Express.

Outra tangente, pra quem não sabe, PCI Express é um barramento de comunicação onde você conecta dispositivos de entrada e saída, como SSDs ou USB ou placas de videos e muito mais. Dependendo da geração e da placa mãe ele vem normalmente configurado com até dezesseis lanes ou pistas. Pense em PCI Express como uma rodovia com várias pistas e os dispositivos podem escolher trafegar em um ou mais pistas, dependendo do tamanho da carga.

PCIe é o sucessor de SATA, e assim como SATA também teve gerações, generations ou gens. O PCIe Gen 2, que foi o anterior, suporta lanes de até 500 megabytes por segundo, um pouco menos que o SATA-III que eu falei. Mas a geração atual é PCIe Gen 3 que suporta lanes de até 1 gigabyte por segundo, por lane. No caso do meu NVME Samsung 970 EVO Plus, eu chego a velocidades sequenciais de leitura e escrita de mais de 3 gigabytes por segundo, ou seja, ele deve estar usando até 3 pistas dessa rodovia. Isso é mais de 6 vezes mais rápido que o SSD 860 QVO que falei antes.

E falando em pistas, quem mais usa lanes de PCIe hoje em dia são as placas de video. Normalmente usam 8 lanes, o que daria uma velocidade máxima teórica de 8 gigabytes por segundo. Desde 2018 eu tava usando uma placa NVIDIA GTX 1070Ti de 11 gigabytes de VRAM, que é bastante até pra hoje em dia. Ele tranquilamente rodava qualquer jogo pesado Triple-A nível Red Dead Redemption 2 em Full HD com mais de 60 frames por segundo, muitos jogos acima de 100 fps. Mas acima de 1080p que é Full HD ele já sofria um pouco mais.

Além de jogos, o Adobe Premiere Pro, que eu uso pra editar meus videos, tem certo suporte a GPUs e conseguia fazer renderizações de video quase 1 a 1, ou seja pra cada 1 minuto de video ele gastava 1 minuto renderizando, o que é até razoável. Mas no fim do ano passado, eu comecei a olhar os videogames de nova geração, PS5, Xbox Series X, e eu achava que não ia ficar com vontade então não reservei na pré-venda. Mas aí quando saiu eu passei vontade ... Então resolvi aproveitar essa vontade pra fazer upgrades no meu PC pra ficar melhor que um Xbox Series X e pra isso passei algumas semanas procurando uma placa NVIDIA RTX 3080.

Mas não são só os videogames que andam em falta. A nova geração 3000 das placas RTX da NVIDIA também estão com dificuldade de atender a demanda. Parte porque a demanda realmente tá alta, e parte porque as quarentenas prejudicaram as cadeias de suprimento e produção das fábricas pelo mundo. Pra ter uma idéia, no mercadolivre mesmo, cheguei a encomendar com uns quatro vendedores diferentes e todos cancelavam o pedido depois de pago. Ainda bem que o mercadolivre no geral lida bem com estorno. Mas finalmente, no fim de dezembro, achei alguém com preço razoável vendendo uma Gainward RTX 3080, sendo a Gainward uma das marcas que vende RTX mais bufados.

Dêem uma olhada, primeiro vamos desparafusar e tirar a antiga GTX 1070 Ti de guerra, que renderizou quase todos os videos deste canal. E agora vamos colocar o monstrão no lugar dela. Vocês podem ver que só de tamanho ela é absurda e vem com um suporte transparente que é pra ajudar a aguentar o peso mas não vou precisar colocar por enquanto. E pra alimentar ela, precisa de 3 cabos PCI-ex cada uma acho que carregando até 100 watts pra um total de absurdos 300 watts que essa placa sozinha pode consumir em momentos de pico.

Essa placa é violenta. Puxa energia como se não houvesse amanhã e esquenta mais que um vulcão. Eu tenho 4 ventoinhas internas no meu gabinete e minha CPU tem resfriamento a água, então eu nunca sentia o gabinete nem morno. Mas com a RTX dentro, quando tô jogando, eu sinto o video do gabinete ficando morno ao toque. Além disso eu sei que a placa tá sendo puxada porque a ventoinha do meu no-break aumenta muito as rotações. Eu nunca tinha visto ele fazer isso. Nem sabia que tinha ventoinha no meu no-break.

Se não me engano, essa placa sozinha puxa até 320 watts de energia. Em comparação a minha pobre GTX 1070 Ti não puxava 180 watts. Por sorte minha fonte Corsair Plus Bronze já era de 750 watts. Então, mesmo se a GPU der picos de energia, ela deve suportar com sobra. E essa potência se justifica. Eu disse que a GTX 1070 ia perto dos 100 frames por segundo só em Full HD. Mas a RTX 3080 vai a 100 frames por segundo em 4K. Claro que varia de jogo pra jogo, mas eu nunca vi ela fazer menos de 90 frames, só quando o jogo tá capado em 60.

A grosso modo podemos dizer que essa placa é uns 50% mais potente no geral que um PS5. Mas claro que depende da aplicação. E depende do que ele puxa mais na placa. Por exemplo, a RTX 3080 tem clock de 1.7 gigahertz mas o PS5 tem 2.3 gigahertz. Por outro lado o RTX 3080 tem banda máxima de 760 gigabits por segundo enquanto que o PS5 tem pouco mais da metade só a 448 gigabits. Em termos de teraflops brutos, o RTX 3080 sai muito na frente com quase 30 teraflops enquanto o PS5 fica na casa dos 10 teraflops.

Na prática, deu pra ficar impressionado que se não me falha a memória, um video de 30 minutos editado no Premiere Pro, levava pelo menos 30 minutos pra renderizar com a GTX 1070. Agora com a RTX 3080 esse tempo tá mais na casa dos 5 minutos. Faz uma diferença enorme, especialmente quando você tá terminando de editar no fim da noite, renderiza, descobre que tem erros, e aí precisa renderizar de novo. Só nisso era 1 hora perdida. Com a placa nova isso vai cair pra 10 minutos ou menos. Às 2 horas da manhã, quase 1 hora economizada fazem muita diferença.

E isso porque acima da RTX 3080 ainda tem a RTX 3090 que dizem que suporta games a 8K. Mas sendo bem honesto mesmo a RTX 3080 é muita coisa pra mim. Eu não trabalho puxando ela no máximo todo dia. Mesmo pra games, se eu tivesse uma RTX 2080 Super que é a placa mais em conta da geração passada, seria suficiente. Dessa vez eu comprei mais porque eu queria mesmo, não por necessidade. Se você for montar uma máquina de custo-benefício, pra trabalhar e pra uns games mais pesados procure pela RTX 2080 Super pra começar.

Mas comparar a RTX 3080 com um PS5 é obviamente comparar maçãs e bananas. Um console é meio como um smartphone, o hardware principal é um SoC ou system on a chip que são todos os componentes, CPU, GPU, memória e tudo mais encapsulado tudo junto, o que facilita fabricação e diminui custos. Além disso uma Sony da vida subsidia os consoles e vende a prejuízo, porque ele ganha com os jogos vendidos, e outras fontes de renda que não o hardware em si. Por isso um PS5 custa na faixa de 5 mil reais. Só a RTX 3080 não sai por menos de 7 mil reais. E ainda precisa do resto do computador então pode colocar mais o dobro disso pelo menos. Um PS5 é de fato uma ordem de grandeza mais barato por performance similar.

Falando nisso, aproveitei que já ia trocar a placa de vídeo pra trocar a CPU e RAM também. Eu já tinha uma CPU Intel i7-8700, 8a geração Kaby Lake e resolvi trocar por uma i9-9900K 9a geração Coffe Lake. Mas na prática a diferença é muito pequena no dia a dia. Do i7 pro i9 o que muda é a quantidade de cores que pula de seis pra oito e menos de 1 gigahertz de clock. Então só em tarefas que puxa todas as threads ao máximo por períodos longo de tempo, como renderização de video, por exemplo, é que vai sentir alguma diferença.

A placa mãe que eu tenho é uma antiga gigabyte Aorus Z370. Uma placa um pouco superior a ela seria uma Z390, mas eu não ia sentir muito a diferença. Um upgrade um pouco maior seria trocar de Intel pra AMD e pegar logo uma Ryzen 9 5900X. Daí eu teria que trocar a CPU, a placa mãe e provavelmente o resfriamento a água que encaixa no soquete da Intel. Já começou a parecer trabalho demais e por isso eu só mudei pro i9-9900K mesmo. De novo, eu ia sentir diferença mais em trabalhos que usam multi-core ao máximo, no dia a dia mesmo comparado ao meu antigo i7-8700 não ia ser tanta diferença assim.

Faz literalmente anos que eu não instalo uma CPU, então a primeira coisa a fazer é desparafusar o cooler do resfriamento a água, daí retirar a CPU i7 com cuidado e só encaixar a nova CPU no lugar. Se você já assistiu qualquer video de montagem de PC de canais como do Linus Tech Tips já ouviu quinhentas vezes como colocar CPUs, que tem a marquinha num dos cantos e tem que alinhar com a outra marquinha no socket.

E como vocês devem ter percebido, é a primeira vez que eu gravo assim e eu deveria ter mudado a posição ou ter tirado a placa gráfica da frente, sorry pelo erro de amador porque não dá pra ver direito, mas tudo bem, meu canal não é de review de hardware então não tenho uma câmera pendurada no teto. Enfim, depois de prender a CPU é hora de aplicar pasta térmica e obviamente preferi escolher uma das mais famosas, a Thermal Grizzly. Ela é meio carinha a mais de 200 reais, mas é o tipo da coisa que você não quer economizar. Depois é só colocar de volta o cooler e parafusar. E voilá, tudo instalado.

Claro, se você estiver montando um PC do zero, eu consideraria uma AMD Ryzen 5 3600X com uma placa mãe Gigabyte Aorus X570 que é a versão da minha pra AMD, ou uma Asus ROG X570. Esses códigos como Z370 ou Z390 é o chipset pra Intel e X570 é o chipset pra AMD. Pra quem nunca ouviu falar nisso o chipset na placa mãe é a responsável pela comunicação entre a CPU, RAM, PCIe e outros periféricos. Por isso ela é específica pra Intel ou pra AMD.

Pra finalizar, como eu tinha 16 gigabytes de memória DDR4 2400 megahertz, eu queria já puxar o máximo com 64 gigabytes de memória Gskill Tridentz DDR4 de 4000 Mhz apesar da minha placa mãe não conseguir usar tudo isso. De novo, 64 gigabytes é mais do que eu preciso, 32 seria suficiente, mas pela primeira vez eu queria mais hardware do que eu realmente preciso, pra brincar de máquinas virtuais depois por exemplo. Instalar memórias é super simples, só garantir pra instalar nos slots certos.

Memórias hoje em dia funcionam em dual channel. E é o que o nome diz, ele provê dois canais de comunicação que podem ser acessados simultaneamente pela CPU, aumentando a velocidade de acesso a dados. Por isso, se você quer ter 16 gigabytes de RAM, deve comprar dois pentes de 8 gigas cada e nunca um único pente de 16 gigas direto. Além disso, se nunca comprou memória, só tomar cuidado pra comprar o formato DIMM que é pra PCs e não SODIMMs que é pra notebooks. E checar quais velocidades o chipset da sua placa mãe e seu CPU suportam. Por exemplo, eu comprei DDR4 de 4000 megahertz mas ele não vai muito acima de 3600 megahertz na prática então 4000 foi demais. Mas tudo bem, se um dia resolver dar upgrade na placa mãe também, essa memória já vai servir.

Então vamos resumir. Eu comecei com um Desktop que comprei pré-montado pela loja Rocketz aqui de São Paulo no fim de 2018 e na época paguei 13 mil reais nela por uma configuração com placa mãe Aorus Z370, CPU Intel i7-8700, 16 gigabytes de RAM DDR4 2400 megahertz, placa de vídeo NVIDIA Geforce GTX 1070Ti com 8 gigabytes de VRAM, uma fonte Corsair CX750 de 750 watts, fora radiador a água Corsair H80i v2 e um componente que eu recomendo você nunca usar, que foi um SSD Kingston.

Outra tangente. SSDs não são todos iguais. Se você ver um SSD muito barato, de marcas como Kingston, Crucial acho que até alguns Sandisk, preste atenção se elas não são DRAM-less. SSDs sem DRAM, que são módulos de memória no SSD, não sustentam velocidades altas de leitura e escrita. DRAM funciona como um cache, um buffer, entre a CPU e o SSD em si. Pelo menos no meu modelo, cache fez uma diferença brutal. Num uso normal de Windows, abrindo e fechando aplicativos, eu podia jurar que sentia o computador literalmente pausando umas horas. Parecia que travava e voltava. O que resolveu foi quando joguei fora esse Kingston porcaria e coloquei um SSD Samsung EVO, que é uma das melhores marcas.

Agora, o upgrade foi caro. A CPU i9-9900K sozinha foi mais de 3 mil reais. 64 gigabytes em 2 pentes de 32 gigas G.skill Tridentz RGB custou 4 mil reais. E como eu disse antes, a Gainward RTX 3080 de 11 gigas de VRAM custou 7 mil reais, então no geral foi um upgrade de mais 14 mil reais, que é mais do que custou o PC original. Se eu fosse trocar por AMD o CPU em si é comparável em preço, com o Ryzen 9 5900X e o i9-9900K por pouco mais de 3 mil reais. Mas a placa mãe Aorus X570 xtreme sozinha custaria entre 6 a 10 mil reais. Esse upgrade deixo pra outro dia, mas se fosse comprar um PC novo nessas configurações seria fácil na faixa de 30 mil reais.

Antes que alguém comece com a pergunta de qual a máquina mínima pra editar videos ou mesmo pra programar, vamos colocar um contexto aqui. Eu tenho mais de 40 anos. Estou comprando uma máquina desse tamanho pra mim só agora. Quando eu tinha 20 anos, mesmo 30 anos, eu não tinha nada perto disso. Pior, quando eu comecei o canal mais de 2 anos atrás eu editei os primeiros videos no meu notebook que era um Dell Inspiron 5570 com Core i7 8a geração, 8 gigas de RAM que eu dei upgrade pra 16 gigas, e acho que a GPU dele era uma Radeon 530 com meros 4 gigabytes de VRAM. Na época eu acho que paguei entre 3500 a 4 mil reais nela.

Pra quem tá nos primeiros dias de aprender a programar por exemplo, pode começar com muito menos que isso. Um Dell Inspiron 15 3000, com 8 gigas de RAM, custa menos de 4 mil reais hoje na loja online da Dell. É muito mais que suficiente pra começar. Dá pra editar videos nivel do meu canal nele. Se você tá com orçamento realmente apertado e quer começar os primeiros passos na programação, não estou brincando, um smartphone ligado num hub USB com teclado, mouse e ligado no monitor via USB-C pode funcionar. Alguns celulares como da Samsung tem essa opção.

Além disso você pode comprar um Raspberry Pi 4 que custa só 75 dólares, mais ou menos uns 400 reais. Vai ser lento? Claro que vai. Vai te impedir de aprender? De jeito nenhum. Eu aprendi a programar num PC dos anos 80 de 33 megahertz, 1 mega de RAM e 20 megas de HD. E estou falando mega e não gigas. Se você não consegue programar num computador fraco, porque você acha que um computador mais rápido vai fazer qualquer diferença?

Pra completar eu também comprei um monitor gamer Asus Tuf de quase 32 polegadas de 144 hertz com freesync e resolução de 2K ou 1440p. Aliás, pra monitor de computador, eu acho que 1440p a 144 hertz é a combinação ideal. 4K faz mais sentido pra TVs acima de 50 polegadas. Por isso meu PS5 eu ligo na minha TV 4K de 75 polegadas. Aliás, 4K em celular nunca fez nenhum sentido pra mim. Só é mais caro e gasta mais bateria. Porque numa tela tão pequena, Full HD ou 1080p é mais que suficiente.

Ah sim, e no final, eu acabei achando o PS5 em estoque no fim de janeiro e consegui comprar. Então agora meu setup pra jogar está excelente. Eu tenho o PC pra jogar qualquer coisa que um Xbox Series X consegue rodar. Tenho um PS5 na minha sala numa TV de 75" ligado num receiver Denon pra home theater e joguei meu Xbox One X no quarto pra poder jogar da cama numa TV 50". E por isso que meus videos tem demorado um pouco mais pra sair. Assim que eu enjoar eu volto a fazer videos com mais frequência.

E pra finalizar, fiz um último upgrade. Lá no começo eu contei como eu gravei a maioria dos meus videos numa Canon Rebel T7i que grava em 1080p a 30 frames por segundo. Resolvi mudar pra uma Sony A7iii com adaptador pras lentes da Canon pra poder reaproveitar minha Sigma de 24 milímetros e a cinquentinha, ambos de F 1/8. A câmera da Sony é mais nítida, cores melhores e grava em 4K a 60 frames por segundo. Mais do que isso, a Canon era uma câmera crop e essa Sony é full frame.

A idéia não vai ser aumentar a resolução dos videos e sim fazer downsampling de 4K pra Full HD pra ficar com imagem de melhor qualidade. Downsampling é quando você pega uma imagem grande e diminui ela, com isso você ganha em nitidez. Também vou ter mais flexibilidade pra poder mover o video, fazer zoom e coisas assim sem perder nitidez. Agora, processar videos de 4K vai justificar um pouco mais a RTX 3080 e o CPU i9.

Aliás, este é o primeiro video que eu gravo com essa câmera, vocês notaram alguma diferença? Eu escrevi o script e estou gravando antes de ver como realmente vai ficar, então vou saber junto com vocês assistindo depois. Como é a primeira vez eu ainda tô aprendendo a melhor forma de usar ela. No geral eu tô bem satisfeito com esse upgrade. Se quiser gastar mais, ainda dá pra fazer muito melhor que isso, mas pros meus usos o que eu montei já tá sobrando bastante. Vamos ver se ela permanece a mesma por mais uns 2 ou 3 anos pelo menos. Se ficaram com dúvidas mandem nos comentários abaixo, não deixem de assinar o canal e compartilhar o video com seus amigos. A gente se vê, até mais!

tags: akitando gainward intel xbox series x ps5 rtx 3080 amd nvidia

Comments

comentários deste blog disponibilizados por Disqus