[Akitando] #85 - Monetizar? Bloquear ADs? O que Fazer?

2020 October 09, 17:15 h

DESCRIÇÃO

Andei pensando em como ligar a monetização no canal, porque o YouTube já enfia ads mesmo eu não querendo, e ainda assim manter a confiança de que meus videos não vão ser influenciados por causa disso.

Então hoje vou explicar mais ou menos como funciona a lógica de monetização do YouTube e o que eu pretendo fazer com isso.

SCRIPT

Olá pessoal, Fabio Akita

Pra variar um pouco este vai ser um meta-episódio, um episódio pra falar sobre o canal em si. A última vez que fiz um desses acho que foi um ano atrás, no primeiro aniversário do canal. E hoje quero falar sobre monetização de videos.

Todo mundo sabe que eu não monetizo os vídeos, e tem três motivos pra isso. O primeiro é que eu não gosto de ser interrompido quando tô falando e ads aparecendo no meio dos meus videos me desagrada, tipo, muito. Quer me deixar irritado é me interromper. O segundo é que o canal não foi feito pra ser meu sustento. Eu já tenho meu sustento na minha empresa, que vai muito bem, obrigado. E o terceiro motivo é só uma consequência lógica: eu tenho liberdade pra falar o que bem entender sem me preocupar em perder público e diminuir monetização, ou seja, eu não tenho nenhum incentivo financeiro pra fazer clickbait e discurso puxa saco pra agradar ninguém.

Porém, alguns de vocês devem estar coçando a cabeça e pensando "ué, mas eu tenho visto ads nos videos do Akita". Pois é, isso me fez repensar no assunto e por isso resolvi explicar o que tá acontecendo e dizer o que vou fazer a respeito.

(...)

Eu nem tinha me ligado disso mas já faz alguns dias que algumas pessoas têm me mandado DMs no Insta perguntando porque estão vendo ads nos meus videos. Pra tirar a dúvida eu fiz uma enquete no Twitter e na aba de comunidade do próprio YouTube. Tive mais de 700 votos no Twitter, mais de 6 mil no YouTube e a conclusão nos dois foi a mesma: pelo menos um em cada três de vocês me assistindo passaram por propaganda pra ver o vídeo. Ou seja, dizer que não quer monetizar o video não é a mesma coisa que garantir que não vai ter propaganda, só quer dizer que eu estou abrindo mão de receber por isso.

Quando comecei o canal uns 2 anos atrás, vi todas as boas práticas que todo mundo repetia, tipo fazer videos curtos, de uns dez minutos, fazer pelo menos um video toda semana e todo esse bla bla bla. E ao longo do tempo eu fui testando essas premissas e vendo que não faz nenhuma diferença pra mim. Como eu imaginava a única coisa que importa é conteúdo de qualidade que engaja e faz as pessoas voltarem. Todo o resto é bullshit. É o famoso, não adianta passar batom num porco, por baixo continua sendo um porco. Não interessa se você tem a melhor câmera 8K se não tem nada de interessante pra filmar com ela.

Se o conteúdo é meia boca, você é obrigado a ficar usando técnicas de clickbait pra atrair novas pessoas. Quando pessoas minimamente inteligentes vêem que era clickbait, elas vão embora e não voltam. O problema é quem fica. Começa a acumular o pior tipo de público, os haters, incels, neets, exatamente o oposto do que eu quero. Por isso eu comecei o canal focando em conteúdo que agrada o usuário mais exigente de todos, eu mesmo. O canal é feito pra mim e depois pros outros. E todos os videos que eu faço podem ser assistidos a qualquer momento, porque ele não é dependo da época em que foi feito. Por isso o canal é bom pra maratonar. Depois do primeiro ano eu diminui a frequência de videos, ao mesmo tempo também comecei a aumentar o tempo dos videos até chegar a absurdos 60 minutos num único video. E mesmo fazendo isso eu continuei crescendo.

Vou abrir meus analytics aqui pra vocês verem como anda o crescimento. Em 2020, até outubro tivemos quase 4 milhões de visualizações. Isso deu mais de 800 mil horas assistidas. E dos cento e setenta mil inscritos, mais de cento e vinte vieram só este ano. No fim do ano passado eu lembro que ainda não estava com 60 mil. A grande virada veio com a dupla de videos sobre o Covid-19 e logo na sequência o Guia Definitivo de Aprendendo a Aprender. Somados, esses dois deram quase um milhão de visualizações. Também deu pra ver que mesmo ficando um período grande sem postar vídeos, mais de um mês aqui entre julho e agosto, não diminuiu a audiência, o que é uma boa notícia pra mim. Meus videos não dependem tanto de muita gente nova e sim de manter as pessoas que já acompanham. E isso se faz com bom conteúdo.

Mas tem uma coisa que eu ainda não testei. Dizem que o YouTube tem menos incentivo de impulsionar e recomendar videos se eles forem desmonetizados. E isso faz sentido. O site tem espaços limitados como a coluna da direita, a página de tendências, os cards de recomendação quando os videos terminam e assim por diante. Se o espaço é limitado então o algoritmo precisa escolher quais videos quer impulsionar e obviamente faz sentido só recomendar aqueles que tenham chance de dar mais dinheiro. E o meu certamente tá no fim da fila porque dá menos dinheiro.

Imagino que essa seja uma das razões de porque eu não sou elegível pra ter a placa de 100 mil assinantes mesmo já estando quase nos duzentos mil. Porque meu canal dá pouco dinheiro pro YouTube. Aliás, muita gente não sabe disso, a placa não é automático pra todo mundo que chega num determinado número de seguidores. O YouTube tem critérios secretos pra escolher, e ele só manda pra quem ele gosta. Obviamente ele não gosta muito de mim, mas tudo bem, o sentimento é mútuo. Se eu fosse funcionário do YouTube, também ficaria com receio de mandar pra esse japonês doido porque vai que ele quebra a placa em público?

Ou seja, mesmo com o YouTube não querendo ajudar muito porque meus videos não dão muito dinheiro, chegamos a mais de cento e setenta mil assinantes e média de cinquenta mil views por video em dois anos. Isso me deixa pensando, quanto mais poderia chegar se meus videos dessem mais dinheiro pro Youtube? E o YouTube sorrateiramente já dá um jeito de conseguir uns trocados com meus videos, inserindo uns ads aqui e ali mesmo que eu não queira. Então acho que é hora de fazer o YouTube trabalhar um pouco mais a meu favor, pra variar.

Por isso eu decidi ligar a monetização de todos os videos a partir de hoje. Pra quem não gosta de ads, calma, continuem vendo até o fim! Como eu já disse, não tenho interesse em ganhar dinheiro com YouTube. Eu também continuo não aceitando ações patrocinadas porque não quero poluir meus videos com propaganda permanente neles. Fora que o que oferecem de pagamento literalmente não vale meu tempo pra responder.

Antes de mais nada, deixa eu mostrar a minha página de analytics de faturamento. Como podem ver, nos dois anos que eu tenho o canal, só tem um bleep ali de teste onde eu arrecadei um centavo. Teoricamente, se eu ligar a monetização na configuração mais minimalista possível, sem nenhuma propaganda que não pode pular e coisas assim, acho que eu devo conseguir faturar algo em torno de mil reais.

Não é grande coisa, mas é alguma coisa. Dependendo de quanto dinheiro der, todo mês ou a cada dois meses eu quero doar cem porcento do arrecadado pra projetos de alguma entidade de ensino confiável. Isso mesmo, não vai ser uma ação de marketing como muita gente faz de doar uma parte ou um valor fixo. Estou falando de tudo mesmo. Antes de vocês irem correndo nos comentários, deixa eu explicar em mais detalhes.

No video da semana passada mesmo, que falei do documentário do Dilema das Redes, eu concluí dizendo que o problema real que o documentário omite é que a grande culpada por manter as pessoas sem ferramentas pra reagir a fake news e comportamento tóxico em grupos de redes sociais é a baixa qualidade do nosso sistema de educação. E regulamentar coisas como redes sociais é um tapa buraco por não ter feito o trabalho direito antes. E claro, eu sozinho não vou chegar nem perto de consertar esse problema.

Com o canal e todo material que eu sempre fiz, talvez ajude algumas pessoas. Já é alguma coisa. E agora eu quero colocar meu dinheiro onde está minha boca. Só ficar latindo “as coisas estão ruins” é coisa de preguiçoso querendo ganhar biscoito fazendo sinalização virtuosa. É o mínimo, porque se nem você acredita na causa o suficiente pra colocar seu próprio dinheiro, porque você acha que alguém deveria colocar o dinheiro deles?

Mas eu já prevejo que vai ter gente pau no cú dizendo: Ah Akita, mas isso é fácil, você não tirou dinheiro do seu bolso, só doou o que foi gerado pelas "minhas" visualizações. Calma, eu ainda não terminei de falar. Como eu disse antes, meu canal ainda é bem pequeno e eu acho que se ligar a monetização, chuto que fique na faixa de mil reais. Então, por alguns meses, eu vou cobrir minha própria aposta.

Pra cada real arrecadado de visualizações eu vou colocar mais um real do meu bolso. Na realidade do bolso da minha empresa, a CodeMiner 42. A missão da CodeMiner é justamente formar profissionais melhores que o mercado médio consegue oferecer. Por isso eu já tinha explicado no video de Aprendendo a Aprender que damos chance pra recém-formados começarem a ganhar experiência por exemplo. De qualquer forma, se o canal arrecadar mil reais, a CodeMiner coloca mais mil. Se arrecadar dez mil reais, colocamos mais 10 mil do nosso bolso. Até chegar num volume de arrecadação expressivo que eu não precise mais cobrir. Depois decido quanto é esse limite.

Aí vem outro ponto que gera controvérsia. Quem vai receber esses fundos? E não é pra ter controvérsia. Eu estou tirando dinheiro do meu bolso, então quem escolhe sou eu. O foco vão ser projetos em universidades públicas. As privadas não precisam do meu dinheiro. A prioridade vai primeiro entre as doze cidades onde tenho escritórios, mas não estou limitando e pode ser de qualquer lugar do país. Ainda não tenho nenhuma regra escrita em pedra a não ser que precisa ser projetos ligados à educação, e vou precisar da ajuda de vocês. Se tiverem ou souberem de projetos, que tem apoio de corpo docente da faculdade, especialmente focado em software livre, mande a proposta pro email que está aqui embaixo: akitando@codeminer42.com

E nem percam tempo se estiverem procurando seed money pra algum empreendimento particular ou startup porque não é esse o objetivo. Falar em dar dinheiro sempre é um problema porque quem não recebe se sente pessoalmente atingido em vez de pensar que alguém que realmente precisava está recebendo. É assim que a maioria das pessoas sempre pensa, que a “causa” delas é sempre mais importante que dos outros. Não seja mesquinho. Às vezes não é que você não mereceu e sim que eu só vou ajudar um por mês, então muitos vão esperar na fila mesmo.

E como vocês vão ficar sabendo quanto arrecadou e que projeto foi beneficiado? Eu não vou fazer video todo mês reportando porque eu acho um tédio fazer relatório. Não vou fazer. Quem tiver interesse em acompanhar, sigam o Twitter da CodeMiner que sempre vamos publicar um screenshot da página de faturamento do meu analytics do YouTube e que projeto foi escolhido. Mas não fiquem fazendo spam de mensagens diretas no twitter, insta, aqui nos comentários ou tudo que é lugar. O único lugar que vou aceitar propostas de projetos é no email que eu falei. Não é quem grita mais alto que ganha, é que proposta eu acho melhor.

“Tudo bem Akita, tudo isso é legal e tals, mas eu continuo odiando ver ads, como fica?” Olha, é mentira se você disser que só assiste meu canal porque ele não tem ads. Porque todos os outros canais tem ads. Se você realmente odeia ads já paga Premium como eu ou dá um jeito pra bloquear ads. Não é meu canal que faz diferença pra você. Todo mundo que disser que vai deixar de ver meu canal porque agora tem que ver ads está dizendo um enorme bullshit. Eu não sou contra bloquear ads, aliás, quem me acompanha no Twitter sabe que em casa eu tenho um Raspberry Pi com Pi-Hole instalado pra filtrar chamadas de DNS. Por cima disso eu tenho o Adblocker Ultimate quando uso Chrome ou Edge. Eu bloqueio a maioria dos ads que dá.

Pelos comentários que recebi nas enquetes, é bom ver que uma boa parte de vocês já faz a mesma coisa ou usa navegadores como Opera ou Brave que nativamente tem funcionalidades de bloquear ads. Como o YouTube aleatoriamente já adiciona ads em qualquer lugar, milhares de vocês já tem esse problema hoje, quer eu ligue a monetização ou não. Pelo menos ligando eu acho que vou ter a opção de minimizar a quantidade de ads, porque pelos screenshots que alguns de vocês me mandaram, tem videos meus que o YouTube enfiou meia dúzia de ads no meio dos videos, que é exatamente o que eu odeio.

Então a conclusão que chegamos é simples. Não ligar monetização não impede ads, só vai fazer o YouTube ganhar mais dinheiro em cima nas minhas costas. Quem tem problema com ads eu recomendo que use navegadores como Brave ou pelo menos instale extensions como Adblocker. Mais do que isso, se você quer bloquear em celulares android ou Smart TVs que usam Android existem dois forks do app do YouTube que foram modificados pra melhorar funcionalidades e também bloquear ads. Um deles é o Smart YouTube TV pra instalar em Smart TVs e tem o YouTube Vanced pra instalar em smartphones.

Claro, são apks que você vai instalar de fora do Google Play Store, então vai ser obrigado a confiar num terceiro te dando um binário, o que não costuma ser uma coisa segura de se fazer. Eu recomendo que vocês pesquisem bem a respeito antes de instalar apks desconhecidos por fora da Play Store. Normalmente eles tem projetos abertos no GitHub pra você mesmo gerar seus próprios apks e garantir que não tem malwares embutidos. Pra quem é programador, pode ser um bom exercício. Nem me peçam pra fazer videos detalhando essas coisas porque é o tipo de conteúdo que já tem de dúzias por aqui e eu não vou ficar fazendo tutorialzinho de coisa que se acha em 2 minutos pesquisando no Google.

Acho que meu público já é esperto o suficiente pra saber o que fazer. Por outro lado, se você não se incomodar com alguns poucos ads, também pode ficar sossegado porque o dinheiro é pouco e insuficiente pra me enviesar. Fora que vai tudo pra projetos de educação. E de novo, quero a ajuda de vocês. Se conhecerem professores de universidades particulares, ou colegas trabalhando em projetos de pesquisa ou qualquer coisa assim, não deixe de compartilhar esse video. E não sejam mesquinhos nos comentários. Obviamente eu não posso ajudar todo mundo, então não se sintam mal se seu projeto não foi escolhido dessa vez por exemplo.

O que vocês acham? Parece justo? Se curtiram mandem um joinha, assinem o canal, não deixem de clicar no sininho pra não perder os próximos episódios. E sempre ajude o canal compartilhando o video com seus amigos. Aliás, o dinheiro não é um motivador pra mim, mas gente assistindo é, então realmente compartilhem. É o que mais ajuda o canal. Por hoje é isso aí, a gente se vê, até mais.

tags: akitando youtube monetização patrocínio doação

Comments

comentários deste blog disponibilizados por Disqus