[Akitando] #13 - Consertando Justice League

2018 September 25, 17:00 h

Disclaimer: esta série de posts são transcripts diretos dos scripts usados em cada video do canal Akitando. O texto tem erros de português mas é porque estou apenas publicando exatamente como foi usado pra gravar o video, perdoem os errinhos.

Descrição no YouTube

Esta semana vamos pra temas geek. Hoje vamos olhar um pouco a trajetória de Justice League até ele implodir e em vez de só criticar mostrar soluções que outros geeks youtubers chegaram pra resolver esse problema.

Links:

Script

Olá pessoal, Fabio Akita

Esta semana vamos mudar um pouco os temas. Quero falar um pouco sobre filmes. Dois em particular, Justice League hoje e o espinhoso The Last Jedi na quinta. Dois dos mais controversos filmes do ano passado, duas das principais decepções em termos de blockbusters.

Vocês já devem ter ouvido e assistido todo tipo de crítica em torno desses filmes. Com os rumores da negociação com Henry Cavill alguns dias atrás colocando em risco a continuidade do Superman. E o cancelamento da nova trilogia Star Wars que o Rian Johnson ia iniciar - graças aos céus …

No episódio de hoje quero falar um pouco sobre Justice League e como consertar essa bagunça.

(...)

Esse filme estava fadado a dar errado. Todo mundo acompanhou o stress durante as filmagens. Zack Snyder fez um filme que todo mundo gosta, os 300 adaptado da obra homônima de Frank Miller. Provavelmente a adaptação de um graphic novel que entregou as melhores frases feitas na história dos blockbusters. Pra mim ainda é o melhor papel de Gerard Butler e foi a primeira vez que prestei atenção em Lena Hedley antes dela virar Cersey em Game of Thrones.

Snyder foi um passo além e fez uma adaptação até que não tão ruim do lendário Watchmen de Alan Moore. É outro filme que não foi tão bem nas bilheterias mas eu particularmente gosto como filme. Em particular pontos pelo casting de Jeffrey Dean Morgan como The Comedian e em manter o tema do “Big Joke” e isso deve ser por causa do screenplay de David Hayter, que como bônus de curiosidade, pra quem gosta da série de games Metal Gear do lendário Hideo Kojima, todos sabem que David Hayter é a eterna voz de Solid Snake.

Com boas credenciais, Snyder ganhou as chaves do universo DC e começou com Men of Steel que não foi completamente ruim, tem idéias que eu até gosto, em particular a caracterização de um Superman menos perfeito. O problema disso é a sequência em Batman v Superman, onde um Superman humanizado fica muito próximo do Batman e isso acaba com o propósito da história em si, ao contrário do tema da graphic novel The Dark Knight Returns de Frank Miller, que serviu de inspiração pra muitas das cenas, e onde a lendária batalha entre Batman e Superman é uma batalha filosófica entre individualismo e coletivismo, como bem analisou o canal Wisecrack, que você pode assistir clicando no link acima.

Então entramos em Justice League. A pressão em cima da Warner Bros tava no máximo. Muito stress interno. O script original de Snyder, com ajustes de Geoff Johns não tava bom. Foi quando trouxeram Joss Whedom pra reescrever cenas inteiras. E tudo isso com a produção em andamento. Fora acontecimentos aleatórios como o famigerado Mustache-gate por conta das refilmagens que acontecerem ao mesmo tempo que Missão Impossível 6. Curiosidade pra quem não lembra, todo mundo tirou sarro que tiveram que tirar a barba do Henry Cavill em pós-produção via computação gráfica porque a Paramount não queria deixar ele tirar a barba pras refilmagens. Mas aí depois disso um dos stunts do Tom Cruise deu errado e ele se machucou feio e as filmagens ficaram paradas um tempão de qualquer jeito. No final ia dar tempo do Cavill tirar a barba, refilmar o Superman pro Justice League e esperar a barba crescer de novo até o Cruise se recuperar. Coisas de Hollywood. Aliás, se você não assistiu MI:6 assista, é o melhor filme da série e de longe um dos melhores blockbusters de ação da atualidade.

Enfim. No frigir dos ovos o filme Justice League virou uma bagunça. A história ficou ruim. A direção ficou ruim. Acabaram usando muito mal todos os personagens. Whedom mudou tanto o filme original que muitos clamam para o lançamento do cut original do Snyder. Eu não esperaria muito desse cut também depois de Batman v Superman.

A Warner teve um tiro de sorte com Wonder Woman, que apesar de ser um filme mais ou menos, com um 3o ato bem ruim e um desperdício de vilão principal, conseguiu uma boa diretora em Patty Jenkins que acertou na química entre Gal Gadot e Chris Pine, sem o qual o filme também teria sido esquecível.

Os próximos filmes, pelo menos pelos trailers, parece finalmente estar acertando. O filme do Aquaman de James Wan parece perfeito nos trailers, ponto positivo pra personagem Mera de Amber Heard. Wan que aliás vem fazendo filme bom atrás de filme bom, desde Saw, Insidious, Conjuring, Furious 7. E claro o novo filme Shazam também parece muito promissor no trailer, com David Sandberg também tendo filmes de horror no currículo, como o último Annabelle: Creation e Lights out. Eu definitivamente não sou fã de filmes de horror, pelo fato de que 99% são muito mal feitos. Mas Wan e Sandberg eu mantenho na minha lista de interesse. Aliás, significa também que em 2019 vamos ter 2 filmes de Capitães Marvel. O original que é Shazam e a Capitã Marvel, da Marvel.

Isso tudo dito, o que fazer com Justice League? Aqui vem a graça do YouTube. Muita gente já tentou ajustar o filme de alguma forma, mas o que eu mais gostei até agora é a recente série do canal Nando v Movies. Uma das melhores coisas que o Nando faz no canal é reimaginar a história de filmes. Em particular eu gosto como ele se atém à fundação da arte de escrever um screenplay. Até o momento em que estou gravando este episódio ele lançou 3 vídeos da série “Justice League Rewrite”. Ele está se atendo em dividir a história nos 3 atos clássicos. E dando mais atenção ao 2o ato, que ele dividiu em 2 partes, tradicionalmente chamados de 2A e 2B separado pelo que chamam de “midpoint” o meio do filme. Por exemplo, o Nando lembra como os filmes da Marvel seguem exatamente essa estrutura e como eles tem midpoints muito bem definidos, em First Avenger, Steve Rogers salta do avião e se torna Capitão América exatamente no meio do filme, em Winter Soldier Steve Rogers e Natasha descobrem que a Hydra infiltrou a Shield e encontram Zola no meio do filme e assim por diante.

Esse cara é muito talentoso, a forma como ele explica as razões pra cada uma das mudanças, a forma como ele encaixa as peças no framework clássico de um bom filme, e como tudo faz sentido, faz você assistir essa nova versão na cabeça como se fosse um filme de verdade. O cara é assim bom. Pra dar um gosto, um dos maiores problemas da história é Steppenwolf, que é um dos vilões mais fracos de todos os filmes de heróis ever. Então ele faz um twist, ele inicia com a Liga dos Vilões, trazendo Clayface, Deathstroke, Copperhead, Weather Wizard e cria um sub-arco no 1o ato que vai ligar no twist do novo midpoint. E à medida que ele reajusta a história também reajusta o relacionamento dos personagens, criando uma das coisas que falta no filme de verdade: uma conexão entre todos os membros da Liga. Por exemplo, copiando o graphic novel de Frank Miller eles colocam vários easter eggs na batcaverna, incluindo o uniforme do 2o Robin, provavelmente, Jason Todd. Mas eles não aproveitam o medo de Bruce em trazer pra equipe um moleque como o atual Flash, Barry Allen e não explorar o trauma de poder repetir o que aconteceu com Robin de novo. Nando corrige isso na sua versão.

Falando no Flash, me lembrou um video essay de outro canal, o HiTop Films que ainda tá no começo mas eles fazem análises muito boas de pontos específicos em alguns filmes, em particular um de 6 meses atrás onde eles comparam a introdução e recrutamento do Flash em Justice League comparado com uma cena muito similar em Civil War onde o Stark vai recrutar o Peter Parker, no que é a primeira aparição do homem aranha no universo marvel atual. Colocando lado a lado é gritante como as cenas são idênticas mas porque o da Marvel é eficaz e o da DC perde a oportunidade.

Dêem uma olhada na versão do Nando e mandem nos comentários o que acharam das mudanças que ele fez. E se vocês conhecem algum YouTuber que imaginou uma versão ainda melhor, também mandem pra eu ver.

Não tem coisa mais divertida pra um geek do que reimaginar as coisas. Acho que uma das coisas que separam os geeks dos não-geeks é que a maioria das pessoas assiste filmes mas não pensa muito a respeito, são aquelas 2 horas, dá uma risada e amanhã já era. A gente que é geek é estranho mesmo, anos depois ainda estamos falando em detalhes dos filmes, defeitos técnicos, cenas deletadas, histórias dos bastidores, versões alternativas. Mas essa é a parte que eu acho mais divertido.

E aí, gostaram desse vídeo? Discutam os temas de hoje nos comentários abaixo. Mandem um joinha, assinem o canal e não deixem de clicar no sininho pra não perder os próximos episódios. A gente se vê na próxima, até mais.

tags: dceu wisecrack dark knight returns 300 watchmen zack snyder superman men of steel justice league hitop films warner bros akitando

Comments

comentários deste blog disponibilizados por Disqus