[Off-Topic] Carpe Diem e os Mitos da Felicidade

2017 February 14, 15:44 h - tags: carreira felicidade off-topic

Don Draper

"Mas o que é felicidade? É um momento antes de você precisar de mais felicidade." - Don Draper

Um dos grandes mitos da sociedade moderna, perpetuado por uma torturante repetição diária nas redes sociais, é o falso "objetivo" da "busca pela felicidade".

Complementando ainda temos o mito da "motivação". TL;DR: motivação é super-estimada, muito mais do que realmente merece.

"As pessoas tem duas maneiras de pensar, ela diz. Aqueles com 'pensamento fixo' acreditam que seus talentos ou habilidades estão cravadas em pedra. Aqueles com 'pensamento de crescimento' acreditam que seus talentos e habilidades podem ser desenvolvidos. Pensamentos fixos enxergam cada conflito como um teste de seu valor. Pensamentos de crescimento enxergam os mesmos conflitos como oportunidades para melhorar." - Daniel H. Pink, Drive: The Surprising Truth About What Motivates Us

E para piorar, o repetido mantra do "faça o que ama" que, como discorri a respeito em 2014, é uma forma mesquinha de desvalorizar o trabalho dos outros.

"..., o grande problema da narrativa do “ame o que você faz” é que ela está vinculada a um discurso de felicidade que é “estar no topo da montanha russa o tempo inteiro”. Como se uma vida normal, cotidiana, rotineira não pudesse ser uma vida de satisfação. Tudo isso torna esse cenário preocupante." - Bárbara Castro - "5 Razões pelas quais o 'faça o que você ama' não é a solução"

No nosso pequeno grande mundo de tecnologia, isso leva muitas pessoas a concluir: "vou trabalhar numa startup ou abrir minha própria" que, por si só, obviamente não está errado, mas chegar nessa conclusão motivado pelos mitos anteriores é uma grande fonte de frustração desnecessária como já expliquei em 2013.

"Não vou me equivocar: eu sou profundamente cético com esse sistema. Sou cético quanto à escravidão desse sistema, fetichização autocongratulatória de "disrupção" e ao mesmo tempo se tornando tão obviamente o tipo de instituição impassível que quer substituir. Sou cético quanto à visão de curto-prazo da comunidade de startup. E sou particularmente cético pelo seu desprezo quanto às vidas das pessoas que participam e a vida daqueles que vivem no mundo que as startups procuram reformular. Não vamos nem começar a discutir o conluio, cartelização e outras atividades de corrupção de mercado que são tão comuns no mundo dos VCs. O ponto sendo: é um jogo ruim, e um jogo de fraude." - Alex Payne

E para piorar tudo, existe um "consenso" nas redes sociais que o mundo não pára de piorar. Tudo hoje é pior. As pessoas são piores. Os trabalhos são piores. O meio-ambiente está destruído. Tudo ofende todo mundo o tempo todo e todo mundo não consegue não julgar os outros o tempo todo.

E eu discordo, como já expliquei também em 2013 e repito todo ano: o mundo está melhor, em constante melhoria e o futuro será ainda melhor! Aproveito para homenagear um dos homens que ajudou a mudar minha perspectiva sobre mundo, o recém-falecido Dr. Hans Rosling.

Hans Rosling

A Perpetuação dos Mitos

Não faltam livros, palestras, programas de TV, filmes e tudo mais feito ao redor da idéia de que todos "Devem" ser felizes, o tempo todo. E que se você não está feliz, você está fazendo alguma coisa muito errada. A incessante busca e obsessão pela "felicidade ideal" se tornou uma das coisas mais insalubres e cruéis dos últimos 2 séculos - junto com o consumo excessivo de açúcar, mas isso é outro assunto, embora açúcar e felicidade costumam ser correlacionados.

Existem 2 conceitos que todos precisam entender:

1) Você provavelmente não tem depressão. Hoje em dia todo mundo "está deprimido" - obviamente, porque "descobrir o que ama fazer" dá muito trabalho e trás muito "sofrimento"...

Não, você só está entediado, momentaneamente.

Dizer "estou com depressão" em vez de "estou entediado" ficou tão comum que a condição clínica real precisa de outro nome para se diferenciar como "Major Depressive Disorder", que é uma condição médica, realmente séria demais para ser tratada com tanta falta de consideração.

2) Normalmente, mesmo depois de passar por eventos que consideramos muito ruins, ou muito bons, nós tendemos a retornar ao mesmo nível de "felicidade" (ou tédio) que estávamos antes desses eventos. Isso se chama "Adaptação Hedônica". E é a principal razão de porque a "busca pela felicidade" é uma jornada particularmente cruel, porque se você não entender isso, vai viver constantemente frustrado.

"Quando o suficiente não é o suficiente, nasce um hedonista." - Sukant Ratnakar

Hypocrisy

Você já pensou em "Eu finalmente serei feliz quando me casar." Ou "se eu conseguir esse trabalho, vou me sentir totalmente satisfeito." Ou talvez você se relacione mais com o outro lado da moeda "Eu nunca vou ser feliz agora que recebi esse diagnóstico médico." Ou "Eu não posso ser feliz enquanto tiver que pagar essas dívidas." Pesquisas psicológicas revelaram duas descobertas importantes quando se fala nessas crenças: As coisas que achamos que nos tornarão felizes nunca nos tornam felizes pelo tempo que imaginamos. Ao mesmo tempo, eventos negativos na vida e desafios não tem um impacto duradouro na nossa felicidade como acreditamos que teriam também. - Sonja Lyubomirsky, ph.D - The Myths of Happiness

"Nós parecemos obcecados por motivação, marchando para alguma coisa além da vida que temos agora, e nós tratamos essa motivação como se fosse uma parte grande da história da sabedoria, que ela não é." - Jennifer Hecht - The Happiness Myth: The Historical Antidote to What Isn't Working Today

Por causa da Adaptação Hedônica, toda mudança, qualquer mudança, parece fornecer uma nova "motivação", parece que "finalmente engatamos no caminho certo". A menos que a mudança traga um novo propósito, é simplesmente mais do mesmo. Muito em breve nos acostumamos ao "novo normal" e estaremos de volta ao tédio. E sem entender isso, você sempre vai estar no interminável e insatisfatório ciclo da "grama do vizinho é sempre mais verde".

Agora, a parte mais nefasta dos efeitos diretos de todos estes mitos é quando as pessoas culpam os outros de seus próprios problemas. "Eu não consigo porque meu marido ...", "Eu não consigo porque minha família ...", "Eu não consigo porque meus colegas de trabalho ...", "Eu não consigo porque meu chefe ...", "Eu não consigo porque a sociedade ..."

Neste momento você está perdido. Você quer mudanças, mas querem que tudo ao seu redor mude, menos você mesmo, que é a melhor definição de uma pessoa covarde: as que vivem de justificativas e desculpas superficiais para não se esforçar, para evitar a dor, para maximizar seu prazer de curto prazo. É o comportamento dos viciados em drogas, e julgar tudo e a todos é sua droga.

Só você está destinado a coisas grandes, mas alguma coisa ou alguém te impede. Só você é especial. Só você merece tratamento diferenciado. Outrora, educadamente chamaríamos isso de "imaturidade", "criancice". Hoje eu diria que a maioria se encaixa mesmo em "Transtorno de Personalidade Narcisista"

"Transtorno de personalidade narcisista é um transtorno mental em que as pessoas têm uma sensação inflada de sua própria importância, uma profunda necessidade de admiração e uma falta de empatia. Mas por trás dessa máscara de ultraconfiança está uma frágil auto-estima que é vulnerável à menor crítica ... (isso) causa problemas em muitas áreas da vida, tais como relações, trabalho, escola ou assuntos financeiros. Você pode ser infeliz no geral e frustrado quando não lhe é concedido favores especiais ou admiração que você acredita que merece. Outros podem não gostar de estar perto de você, e você pode achar que seus relacionamentos não te satisfazem." - Mayo Clinic

No mundo moderno, eu reduziria isso à "Cultura do Like". Triste.

Conclusão

Essa busca incessante pela "felicidade ideal", "fazer somente o que você ama", e achar "que o mundo vai acabar" tornam as pessoas muito fracas, com baixa auto-estima, baixa empatia, altíssimo narcisismo e uma sensação de "depressão" que chega a paralizá-la e a simplesmente atirarem para todos os lados por causa da falta de "propósito" e constante frustração com tudo e com todos.

Felizmente, eu nunca tive esse problema, só conheci pessoas que tem, e este artigo é dedicada a elas - como um "wake up call". Não quer dizer que não tive meus momentos infelizes e minhas crises pessoais. Já perdi muita coisa, financeiramente, pessoalmente. Negócios, amigos, relacionamentos. Não estou exagerando. Mas eu aceito meus prejuízos e pago por eles, como parte da vida: No Pain, No Gain.

Ambiente de trabalho "fancy" nunca foi uma preocupação. Já trabalhei embaixo de uma lona (!) quando pintaram o pequeno escritório onde eu era estagiário, no verão, sem ar condicionado, porque iam dar uma festa mas o trabalho não podia parar. Já trabalhei dentro do ambiente de um armazém de logística, com teto de zinco, só com ventilador e com caminhões entrando e saindo ao lado. Já dormi no chão do escritório, dezenas de vezes. Já carreguei móveis pelo meio da rua para mudar de escritório. Já varei muitas noites não pagas. Já tomei esporro na cara de coisas que nem eram minha responsabilidade (eu era estagiário). Já tive que fazer várias coisas não relacionadas ao meu trabalho de verdade, brigar com gerentes, brigar com "colegas de trabalho", brigar com fornecedor.

Nunca considerei nada disso como "fim do mundo". Somente algo inevitável. O famoso "aceita, que dói menos".

Não é à toa que sou um Engenheiro. Engenheiros resolvem problemas, a nossa obsessão é toda vez encontrar um jeito mais eficiente de fazer a mesma coisa. Nenhum Engenheiro jamais resolveu coisa nenhuma só com mimimi.

Não existe "trabalho que me desvaloriza". Se eu precisar recortar um Photoshop, não vou achar que é um trabalho braçal inútil. Não existe trabalho inútil. Existe má vontade. Todo "trabalho corriqueiro", subestimado, feito com a cabeça pode levar a grandes descobertas acidentais.

"O inventor da Coca-Cola não era um grande homem de negócios, um vendedor de doces, ou um sonhador buscando revolucionar a indústria de bebidas. John Pemberton só queria uma cura para dores de cabeça. Um farmacista por profissão, Pemberton usou dois ingredientes que achou que curariam a dor de cabeça: folhas de coca e nozes de coca. Quando seu assistente de laboratório acidentalmente misturou os dois com água carbonada, o resultado foi a primeira Coca-Cola." - 10 Awesome Accidental Discoveries

Muitos desses narcisistas, na sua aura de auto-importância, acreditam que precisam do ambiente perfeito, que lhes dêem as condições para realizar coisas grandiosas (ênfase no "dêem" porque elas se recusam a conquistar o que precisam sozinhas). Isso é uma grande besteira. Ainda estou para ver alguém que pensa dessa maneira realizar qualquer coisa de relevância para alguém.

Na minha experiência, todas as grandes descobertas tiveram condições humildes, mas tiveram pessoas que tinham real interesse no que estavam fazendo, apenas isso. Profissionais - "craftsmen" - interessados em aperfeiçoar seus próprios conhecimentos e, por consequência, saíram com grandes coisas que beneficiaram mais gente. Você não planeja algo revolucionário ou inovador: elas acontecem por acidente - dadas as condições ideais de temperatura e pressão naquele momento.

"A questão não é quem vai me permitir: é quem acha que pode me impedir." - by Akita.

Eu não sou programador com o intuito de um dia superar Bill Gates ou Linus Torvalds ou algo assim. Não é necessário ser cegamente arrogante para se fazer alguma coisa. 30 anos depois, eu ainda me divirto com coisas triviais: um código novo que compila, uma configuração nova que otimiza minha GPU, configurar um Raspberry Pi, testar uma nova linguagem, configurar meu editor de textos, pesquisar, aprender, evoluir e assim vai. "Fazer o que ama" não é fazer coisas grandiosas. E "ser feliz" não é um estado constante e imutável a ser atingido. É um processo, tentativas e erros.

E somente quem aproveita o presente, o que existe ao seu redor e ao seu alcance neste momento - em vez de perder tempo pensando no "e se no futuro ..." - é quem tem mais chances de fazer o que os outros nao conseguem, cegos pela jornada da felicidade impossível. Restrições levam à Inovação, como venho repetindo faz anos.

"carpe diem, quam minimum credula postero" - "Faça o melhor possível com o tempo (limitado) que você tem".

"Quem vive de passado é museu. E quem sofre com o futuro longínguo é um doente mental." - Desconhecido.

Coincidentemente, enquanto estava pesquisando para escrever este post, saiu o podcast do Hipsters Ponto Tech onde fiz uma pequena particípação justamente para falar sobre o assunto de Carreiras em tecnologia.

E releiam meus antigos posts mencionados acima, relacionado a estes assuntos:

TL;DR: Aprenda a aprender, e aproveite melhor sua vida.

(download direto do vídeo acima)

Comments

comentários deste blog disponibilizados por Disqus