Estou atrasado com este post mas em minha defesa, esta semana foi super corrida. Mas estou muito contente em dizer que a primeira edição do RubyConf Brasil correu muito melhor que o esperado.

Em números, tivemos mais de 700 participantes no evento. É o terceiro ano que conseguimos realizar um grande evento de Ruby no Brasil. As primeiras duas Rails Summit abriram caminho para esta RubyConf e espero que ela continue ainda por muito tempo.

Um dia antes do evento, eu fui conferir como estavam os preparativos para suportar este grande evento. Daí resolvi aproveitar que tinha acabado de instalar o novíssimo iLife’11 e fiz este teaser trailer:

Então, no segundo dia do evento, gravei alguns vídeos de todo o povo participando e montei este outro trailer que mostramos antes do keynote de fechamento do evento:

Tivemos muitas diferenças em relação às Rails Summits. A mais óbvia foi a mudança de local, do antigo Elis Regina na Zona Norte de São Paulo para o Centro de Convenções Frei Caneca. Existem vantagens e desvantagens nas duas. No caso do Elis Regina, trata-se de um local bem mais amplo e bonito, com auditório de verdade. Porém, a localização é muito ruim por ser muito longe de tudo. Poucas opções de hotéis, poucas opções de restaurantes, enfim, é um lugar mais isolado. Já o Frei Caneca fica no centro de tudo, perto de metrô, de muitos hotéis, do lado da Av. Paulista. Por outro lado o local é um pouco menor. No geral acho que a escolha foi acertada para a maioria das pessoas. O que acham? Comentem no final.

Outra novidade foi uma Chamada para Propostas abertas ao público, que começou em 5 de julho no meu blog. A partir das propostas enviadas vieram praticamente todos os palestrantes brasileiros. E uma coisa que eu e muitos gostamos é que o nível técnico das palestras foi elevada em comparação aos anos anteriores. Não estamos mais apresentando as tecnologias e sim já avançando em como tirar melhor proveito delas.

Dos palestrantes internacionais tivemos algumas baixas em relação ao que eu tinha planejado. Por exemplo, o Chris Wanstrath precisou ir embora em cima da hora para resolver problemas urgentes em São Francisco. Felizmente o Scott Chacon ficou e cobriu o slot dele. Porém, a abertura do evento estava planejada para ser feita pelo David Black, representando a Ruby Central, mas infelizmente ele teve que tratar de problemas de saúde e precisou se ausentar, daí eu mesmo ocupei esse slot. Tirando isso, não tivemos nenhum problema de programação.

Outra coisa que deve ter agradado é que aprendemos muito com os últimos dois anos e foi possível otimizar muito os custos sem sacrificar a qualidade do evento. Graças aos cuidados de logística da equipe de eventos da Locaweb e aos nossos patrocinadores (incluindo a Gonow Tecnologia, que é a empresa onde trabalho atualmente), foi possível abrir os registros do evento com o preço reduzido de R$ 150 (que foi aumentando gradativamente para R$ 200 e R$ 250 à medida que chegamos perto do dia). Isso tornou o evento bem mais acessível para mais pessoas.

Além disso tivemos o apoio da Caelum que realizou um pré-evento, onde pessoas que ainda estão iniciando em Ruby tiveram a chance de fazer uma aula de introdução na própria Caelum um dia antes do evento.

Em termos de cobertura, a InfoQ Brasil gravou uma série de entrevistas com muitos dos palestrantes que devem ser lançados no site deles nos próximos dias, fiquem ligados! Além disso a Locaweb gravou todas as palestras, desta vez com uma equipe bem mais profissiona, e esperamos ter os vídeos editados ainda em Novembro. Então fiquem de olho aqui no meu blog e no site do evento.

Se praticamente tudo correu conforme o planejado, a única coisa que infelizmente foi um #EPICFAIL total foi a internet. A terceirizada que foi contratada para fornecer o acesso à Wi-fi simplesmente não conseguiu realizar o trabalho da maneira correta. Não lembro agora qual o nome dela, mas eu digo que foi uma vergonha total da parte deles. Fica minha reclamação para que essas empresas que lidam com eventos comecem a levar o trabalho de forma mais séria. Para que todos tenham uma noção, normalmente em eventos o maior problema não é a capacidade do link (Mbps), mas sim os roteadores que precisam aguentar centenas de dispositivos conectando e desconectando ao mesmo tempo (notebooks, smartphones, etc). Para isso um roteador caseiro não serve. No caso tínhamos nada menos do que 4 roteadores Cisco. O que é mais chocante pois é preciso muito talento para conseguir não aguentar com essa qualidade de equipamentos.

Enfim, de qualquer forma a qualidade dos palestrantes e da platéia elevou a qualidade do evento como um todo. Além dos assuntos interessantes que foram tratados o pessoal trocou muitas idéias, socializou, e acho que foi muito satisfatório. E também como novidade de última hora para a Desconferência no final do primeiro dia, testamos o Call4Papers que foi desenvolvido pelo Douglas Campos (da Gonow), Vinicius Baggio (da PlataformaTec) e Anderson Leite (da Caelum) para o Rails Rumble deste ano, aplicativo que inclusive ficou entre alguns dos melhores colocados até o fim do evento.

Em termos de redes sociais, o pessoal da Vizir disponibilizou um Livestream e em seguida soltou uma relatório de como foi o evento baseado nos tweets. Vale a pena conferir.

E esta foi uma semana para os rubistas da América Latina mesmo porque logo em seguida ao nosso evento, tivemos o RubyConf Uruguay onde alguns dos mesmos palestrantes foram participar. Foi mesmo uma semana para Rubistas, vamos fazer com que se repita todo ano!

comentários deste blog disponibilizados por Disqus