Existe um pensamento que me cruza a cabeça de vez em quando. Como blogueiro eu tenho relacionamentos com muitas pessoas da blogosfera em geral, tanto do Brasil quanto fora, muitas pessoas que sempre encontro em conferências, tudo muito gratificante pois eu sempre aprendo mais. Além disso já trabalhei em muitos lugares então sempre existem contatos antigos e antigas experiências.

Por outro lado tenho um dilema, especialmente quando envolve assuntos sobre críticas porque muitas pessoas lêem e assumem a carapuça de formas interessantes que, obviamente, eu não posso controlar. Contexto é tudo.

Exemplo clássico, os artigos As 5 Disfunções em Equipe de Código, Conselho para Gerentes de Desenvolvimento de Software, ou Net Negative Producing Programmer. Razões para escrever eu nunca tenho uma única específica, a inspiração aparece, eu escrevo. Nos últimos meses tenho estudado muito material a respeito, diversos livros, dezenas de artigos, porque eu sempre gosto de entender o que faço mais a fundo e porque eu entendo que nunca vou saber tudo. (O que significa que tem mais artigos meus nessa linha ainda para vir :-) Em particular dois desses artigos foram inspirados numa conversa que tive durante conferências recentes com um bom amigo meu.

No meio disso, sempre vão surgir histórias, coisas que eu ou amigos meus já passaram e que eu descrevo. Mas não especifico um caso em particular, uma pessoa em particular, eu tento entender um comportamento geral e descrevo como tal. É como observar fenômenos naturais, tento descrever as consequências (como as 5 disfunções, NNPP) e tento entender quais as possíveis causas, às vezes até de forma propositadamente ingênua.

Às vezes os motivos são diretamente pessoais mesmo. Vejam artigos como Um Desabafo e Um Desabafo, parte II que escrevi no começo de 2007. Vale a pena ler porque num blog só os artigos recentes ficam em destaque, mas se verem o que escrevo desde 2006, observarão que de tempos em tempos eu escrevo artigos com temas provocativos de forma parecida.

O “problema”: até amigos próximos meus já ficaram um pouco mordidos com artigos como esses. Já recebi alguns hate-mails, algumas indiretas online e offline, essas coisas simpáticas :-) Sinceramente não me preocupo nem um pouco com isso, eu sempre vou pecar por mais do que por menos e a lógica é óbvia: se eu achasse que o que escrevo está errado eu não escreveria. Quando eu erro, me desculpo. Mas a popularidade do blog às vezes dá mais peso ao que eu falo do que acho que deveria.

Pelo menos para meus amigos e quem eu normalmente costumo conversar pelo menos via IM, fiquem sossegados, se eu estiver com problemas com você em particular, vou conversar diretamente, em particular. Da mesma forma a recíproca é verdadeira, eu prefiro que se você tem problemas comigo, que venha falar diretamente também. É sempre o caminho mais curto e o de entendimento mais rápido.

Mas, como eu disse, contexto é tudo. É como horóscopo, você lê e realmente se identifica “nossa, sou exatamente eu.” Isso são estereótipos, e poucas pessoas são tão monofacetadas assim e nem deveriam se considerar como tal. Um efeito que existe em textos gerais é o seguinte: não é difícil encontrar paralelos de qualquer coisa com qualquer coisa. Exatamente como eu apresentei em Somos Matematicamente Ignorantes, coincidências são muito comuns, muito mais do que achamos que deveria.

Meus artigos não tem o objetivo de estabelecer verdades absolutas, são pensamentos, opiniões, desenvolvimentos que eu apresento e que gostaria de receber feedback para poder observar outros argumentos (argumentos, não trollismos) e possivelmente aumentar minha visão sobre o assunto.

Não sei se outros blogueiros tem o mesmo “problema”. E eu digo entre aspas porque discordar do meu ponto de vista não é um problema. É para isso que existem os comentários: coloquem seu ponto de vista, especialmente se for contrária e se tiver bons argumentos, isso vai enriquecer o tema. Eu achava que isso deveria ser óbvio, mas pelo jeito não é então aqui vai a explicação.

Finalmente, reafirmo que não pretendo mudar em nada a forma como escrevo. Foi tudo isso apenas para dizer que nada muda :-)

comentários deste blog disponibilizados por Disqus