Chegou meu Leopard!! Primeiras impressões

2007 October 28, 03:13 h - tags: apple obsolete

Ontem eu já tinha instalado o novo Leopard (graças ao BitTorrent). Foi um longo download de 6.6Gb, mas quando as lojas começaram a vender o novo sistema operacional eu já tinha instalado no meu Macbook. Porém, produtos da Apple definitivamente merecem ser comprados e foi exatamente o que fiz. Depois que a Apple do Brasil voltou atrás em lançar o Leopard no mesmo dia, resolvi comprar lá fora.

Pois bem, aqui estão as fotos da caixa do Leopard (e o Macbook ligado ao meu display externo já está com ele, como podem ver pelo Dock). Ah sim, o Apple Wireless Keyboard chegou hoje também. O keyboard do Macbook é o melhor teclado que já usei e eu queria a mesma qualidade no meu dia a dia, onde eu uso o Macbook como desktop.

Voltando ao Leopard, sim, ele é tudo o que falaram e mais um pouco. Eu resolvi fazer um clean install, para isso fiz um backup de tudo com Superduper. Em 2 horas eu já tinha todos os meus aplicativos configurados e rodando. Como eu assino o .Mac, meus calendários, bookmarks, contatos, etc vieram perfeitos. Minha máquina está com a mesma performance que o meu Tiger antigo e algumas coisas realmente “parecem” mais rápidas, como o Mail.app e o Spotlight.

O Mail.app, aliás, ganhou uma funcionalidade que não vi ninguém falando: agrupamento de e-mails em threads. Eu sei, eu sei, o Thunderbird sempre teve isso. Me recusei a usar o Thunderbird só por causa disso e agora não tenho mais nenhum motivo para pensar nisso (o Thunderbird no Mac é feio e mal integrado). Mais do que isso: em alguns mailboxes eu tenho milhares de e-mails, e o Mail.app antigo demorava um pouco para carregá-los. Agora está praticamente instantâneo.

O Spotlight demora um pouco da primeira vez, obviamente, porque está indexando tudo. Mas depois que termina ele é rápido. Vou repetir: muito rápido. Estou praticamente pensando em não usar mais Quicksilver como application launcher.

O novo Finder é excelente. Muito rápido. Como ele usa o bom o velho AutoFS para cuidar dos sharings remotos, a interface nunca trava. A geração de thumbnails de alta resolução não torna a navegação lenta. O Coverflow somado ao Quicklook definitivamente foram adições excelentes!! Principalmente para mim que tenho gigas e mais gigas de vídeos e fotos.

O Time Machine é muito bom. Eu peguei um dos HDs externos que tenho com espaço livre (todos os meus HDs externos são formatados em HFS+, obviamente). Ele leva algum tempo pra fazer o primeiro backup. Depois disso não sinto mais nada. E sim, o Eye Candy, o background de Espaço Sideral, etc parecem coisa frívolas, mas fazem muito sentido: ninguém usa backup. Só geeks como eu ainda se dão ao trabalho de manter um workflow de backup. Mas com o Time Machine, realmente isso não é mais necessário. Detalhe: a maior parte das pessoas que fazem backup, raramente fazem restore. Raramente. O Time Machine praticamente convida a fazer restores. Ele não é um substituto de Subversion, não é um versionador, é um backup.

Muita gente falou mal do novo Dock. Para mim não cheira nem fede, mas definitivamente ficou mais bonito. A interface como um todo ficou mais refinado e bem acabado. Para mim parece até que as cores ficaram mais brilhantes. Eu ainda nõa chequei se é o Hue das cores que mudou, ou se eles recalibraram o profile do monitor.

O Spaces é uma das coisas que eu mais vou usar. Eu cansei dos bugados Virtue Desktop ou YouControl. O novo Spaces implementa o conceito de desktops virtuais (que obviamente não tem nada de novo, principalmente para quem usa desde o horroroso CDE do Solaris), mas é a primeira vez que ele funciona integrado de maneira tão bem feita. Simplesmente funciona. E o mais importante: o Mac OS não tem Eye Candies apenas por ter. O backend Quartz tem toda a capacidade do OpenGL 2.0 para fazer cubos e tudo mais que quiser – principalmente com o novo framework Core Animation – mas ele não faz. Por que será? Óbvio: porque isso perturba mais do que ajuda!! Um efeito de cubo no Fast User Switching não tem problema porque você faz isso raramente, mas num desktop virtual – que é usado o tempo todo – isso irrita. As animações do Spaces são sutis e eficazes, mais importante: rápidas.

Finalmente vou poder jogar fora o iTerm, o terminal freeware que eu usava antes. O novo Terminal.app é perfeito com o recurso de tabs: a única coisa que eu queria. Novamente, nada demais, já existia em outros sistemas e isso é irrelevante. Falando em Terminal, o Ruby 1.8.6 pré-instalado realmente é um mão na roda. O MacPorts funcionou perfeitamente e já estou com MySQL 5 instalado, com rb-mysql e todo o resto do suporte que preciso para continuar desenvolvendo em Rails.

Coisas que a maioria das pessoas não está acostumado: um novo sistema operacional que não apenas não fica mais lento que o anterior, mas que torna algumas coisas mais rápidas no mesmo hardware. Zero conflitos de drivers. Praticamente zero problemas de compatibilidade de aplicativos: instalei todos que eu tinha (a maioria foi só re-arrastar para a pasta Applications) e nada quebrou. Funcionalidades novas que realmente funcionam como diz a propaganda.

Falando do meu novo keyboard: perfeito. O pareamento foi trivial. Este artigo já estou escrevendo nele. Eu sou o que os americanos chamam de “touch-typist”. Quando digito meus textos, consigo chegar a 400 toques/min. Num teclado normal esse ritmo cai um pouco, mas neste teclado eu chego sempre perto dessa média. Ele é muito baixo, o que deve melhorar a posição dos meus pulsos. As teclas são ‘rasas’, o que torna teclá-los algo sem esforço. Tudo isso deve inclusive ajudar minha quase-tendinite.

E sim, a camiseta da foto é a que foi distribuída a todos que estiveram na fila no dia do lançamento :-)

Papai-noel chegou mais cedo este ano. Agora só falta atualizar meu Macmini, mas em vez de clean install vou fazer um update normal. Updates simplesmente funcionam.

Comments

comentários deste blog disponibilizados por Disqus