Dentro de 1 hora será 6PM em New York, o derradeiro lançamento do produto mais aguardado da história: iPhone. Em algumas horas, os primeiros reviews de usuários começarão a ser postados pela Internet e todos poderão ver o iPhone em toda sua glória.

Não é necessário explicar o que é o iPhone. A menos que a pessoa tenha passado os últimos 6 meses em Plutão, é impossível não ter sequer ouvido falar do iPhone. Widescreen iPod with Touch Controls, Revolutionary Mobile Phone, Breakthrough Internet Communications Device. Desde 22 de Janeiro esse mantra circula a Internet. Se é uma revolução de celular eu não sei, mas certamente é uma revolução no marketing. Todo marketeiro e gerente de produtos está tomando uma aula de como se lança um bom produto.

Os últimos dias foram preenchidos por uma ansiedade jamais vista para o lançamento de um produto. Filas se formaram na frente das principais Apple Store do país. Vídeos oficiais foram lançados no próprio site da Apple. Pessoas que participaram dos testes foram flagrados com iPhones. Jornalistas puderam revelar seus testes depois de 2 semanas com o aparelho, e todos foram unânimes em dizer que sim, o iPhone é tudo o que dizem. (Aliás, assistam o video podcast de David Pogue, é hilário.)

Principais defeitos: suporte somente pela rede da AT&T e ativação que obriga a ter conta no iTunes. Isso só torna mais difícil para outros países (como nós) conseguir desbloquear o aparelho. Ainda guardo muita fé que em poucos dias alguém da Europa Oriental, Russia, China, vai conseguir desbloquear o iPhone, trocar o SIM card, ativar e vai postar a receita na Internet. Será a bandeira verde para comprar o meu :-)

O iPhone é sobre detalhes. Cada detalhe milimétrico, cada grama, cada pixel desse aparelho foi discutido e re-discutido por dezenas de pessoas. Um desses detalhes é o Guided Tour no próprio site da Apple.

Lembro de um artigo de Kathy Sierra (não encontro o link) que falava justamente disso: as propagandas de produtos são todos coloridos, chamativos, atraentes, porém quando o produto é entregue tudo que recebemos são manuais feios, em preto-e-branco, com linguagem difícil e pouco acessível. É a velha história: enquanto você é um prospect, é importante, depois que já gastou seu dinheiro e comprou o produto se torna um nada.

Estava conversando hoje com colegas italianos e indianos e é impressionante como todos sabem o que é o iPhone e certamente já sabem como operá-lo. O Guided Tour é um verdadeiro manual do usuário mostrando instruções que com certeza a grande maioria dos não-geeks conseguirá seguir sem problemas. Isso é qualidade.

E falando em qualidade foi anunciado que o iPhone é de longe o celular mais testado do mundo antes do lançamento. Se não me engano foram 10 mil horas de testes com mais de 200 técnicos. É muito teste. E nos últimos dias o fone foi ainda melhorado, ganhando uma proteção de vidro que não risca e com a autonomia da bateria quase 50% maior.

As novidades não páram. É isso que chamamos de raising the bar. A referência para todas as outras empresas agora é o iPhone. Cópias mal feitas já apareceram (como o – argh – LG Prada), mas muitos mais vão surgir. Por algum tempo vai ser difícil olhar para outro celular e não comparar com o iPhone.

Meu Apple TV já está lotado de material do iPhone e esperando cada video podcast do mundo que a partir de hoje a noite começarão a postar seus reviews do aparelho. Pela próxima semana cada geek, jornalista estará minuciosamente explicando o aparelho. Se depender de nossas (horrorosas) telecoms, só teremos um iPhone em 2020. Espero poder ter um muito breve. Hackers do mundo: desbloqueiem logo!

comentários deste blog disponibilizados por Disqus