Democracia na Internet: O Caso Digg vs AACS

2007 May 02, 20:26 h - tags: obsolete

Ontem foi um dia louco. Para quem não acompanha, existe uma batalha no mercado de multimídia a respeito dos formatos HD-DVD e Blu-ray. Nos bastidores existem outros jogadores: o pessoal dos direitos autorais e suas artimanhas de censura e abuso de poder. A MPAA é um exemplo notório.

Na época do lançamento do DVD essa discussão já existia mas a tecnologia era mais amadora. Em pouquíssimo tempo a proteção CSS foi quebrada e hoje temos o DeCSS o que permite, por exemplo, que sistemas baseados em Linux consigam rodar DVDs sem pagar licença para isso.

Com o surgimento do sistema de criptografia AACS do HD-DVD, mais uma vez houve a tentativa de conter as cópias ilegais. Existe toda uma discussão a respeito de DRM, DMCA, etc. Enfim, tecnicamente na batalha dos formatos, uma das coisas que os defensores do HD-DVD e Blu-ray precisam fazer é convencer os estúdios de Holywood que seu respectivo formato é mais seguro e anti-cópia do que o outro.

Pois bem, o AACS foi quebrado. Como todo sistema que depende de um segredo, foi apenas uma questão de (pouco) tempo. A chave 09f911029d74e35bd84156c5625688c0 foi publicada na Internet. A situação específica de ontem, envolveu o famoso site Digg.com.

Espero não estar falando grego pois Digg é uma dos sites de notícias mais visitados do mundo e uma preferência pessoal minha, incluindo o programa de podcast Diggnation, estrelado pelo fundador Kevin Rose. Digg sempre foi um espaço considerado democrático. As próprias pessoas publicam notícias e os leitores podem cavá-lo (digg) e elevá-lo à página principal ou enterrá-lo (bury) para o esquecimento.

Eventualmente os moderadores do site eliminam artigos ou comentários racistas, pornográficos ou qualquer outro material que infrinja os termos de serviço do site. Mas tão logo o código foi publicado no site, parece que o Digg foi comunicado por uma entidade – que ninguém ainda sabem exatamente quem, mas especula-se ter sido a AACS-LA – de retirar o código do ar.

Num dilema sobre o que fazer, pesou a possibilidade de sofrerem um processo por conta da DMCA, por exemplo. Então os moderadores começaram a eliminar qualquer menção ao código do site.

Em poucas horas o site Digg foi literalmente enterrado em centenas de artigos e comentários contendo o código das maneiras mais criativas possíveis: misturado no meio do texto, nos títulos, nos comentários, como cores em hexadecimal, como música. Enfim, em pouco tempo a página principal do Digg estava coberta somente com artigos contendo o código. A própria Wikipedia sofreu um pouco disso. A idéia foi pressionar o Digg para não ceder a quem quer que fosse e assumisse a briga pela liberdade de expressão.

No fim do dia, Kevin Rose em pessoa blogou sobre isso e deu o braço a torcer dizendo que não iriam mais censurar o código. É possível que o Digg sofra sanções por causa disso mas pelo jeito finalmente ela entendeu seu público. Diversos sites divulgaram essa notícia como a CNet, Macworld, Ars Technica.

O código, sozinho, não é nada sem um programa que use esse código para decriptografar o conteúdo de um HD-DVD. Ainda existe um longo caminho para se chegar a ferramentas completas de descriptografia, mas o primeiro passo foi dado. O Blu-ray, pelo que se sabe, tem proteções extras. Novamente, uma questão de tempo para quebrar tudo.

A história é muito interessante porque serviu para mostrar a todas essas entidades que a Internet não pode ser controlada nem submetida a leis inúteis. A única coisa que importa é a credibilidade e ontem a do Digg ficou sobre o fio da navalha. Todos aprenderam a lição: manter-se fiéis a seus valores e encarar as consequências. Essa foi apenas mais uma cartada contra DRM. A expectativa é que a pressão dos consumidores finalmente atinja níveis que aflijam a indústria a repensar esta estratégia que muitos, como eu, consideram descartáveis e nocivas.

Comments

comentários deste blog disponibilizados por Disqus