David Hansson acabou de postar o relatório Decompressing RailsConf Europe em seu blog Loud Thinking. Ele descreve como foi o primeiro evento europeu sobre Rails, terminando a sequência da RailsConf Chicago de alguns meses atrás.

Espero que todos estejam atentos ao evento aspirante a uma futura RailsConf nacional: o evento promovido pela livraria Tempo Real e que acontecerá agora, dia 28 de outubro, na Universidade São Marcos, com apoio da br-linux.org, Dicas-L, RubyOnbr, Webmasters.

Ainda não é desta vez que teremos personalidades como David Hansson, David Black, Martin Fowler pelos trópicos, mas é um excelente começo. Congratulações a todos os organizadores do evento por mais esta iniciativa. Espero que todos vendo este blog possam participar, para que coisas grandes aconteçam é preciso que uma grande quantidade de pessoas apostem e apostem alto. Aliás, aprender uma nova tecnologia não deveria ser encarada como “difícil” ou “possível perda de tempo”. Eu perdi a conta de quantas tecnologias e linguagens aprendi nos últimos de anos. Aprendo pelo menos uma coisa nova por dia e encaro aprender como algo natural.

Falei sobre a RailsConf Chicago alguns posts atrás, agora traduzirei o post de David sobre a RailsConf Europe. Espero que isso ajude a incentivar as pessoas a pensarmos em uma RailsConf Brasil Oficial.

Descomprimindo RailsConf Europe

Que fantásticos dois dias! Uma grande e envolvente experiência. Não que eu esperasse a RailsConf européia oficial um negócio morno, mas francamente não esperava esse nível de qualidade, intimidade e horizontes. Houve tantas boas palestras, tantas pessoas entusiasmadas e muitos projetos verdadeiramente impressionantes sendo apresentados.

Pessoalmente tive o prazer de falar sobre o próximo passo em nosso tema de Simply Something (Simplesmente Alguma-Coisa). Primeiro demonstrei uma versão funcional do Active Resource e como ele funciona imediatamente com o resources_scaffold que está por vir. Cobrindo Simply RESTful mostrando todas as idéias da RailsConf Chicado convertido em código funcional ao vivo.

Então tive que mostrar Simply Helpful. Nossa intenção de trazer convenções e simplificações para o mundo das views. De div_for(person) a render(:partial => @people) até link_to(:name, person). Scott’s Place tem a “descrição completa”. Você certamente ouvirá mais sobre isso, especialmente quando tivermos Rails 1.2 lançado e estando mais habilitado a focar nisso exclusivamente.

Mas no esquema geral das coisas, minha apresentação foi meio inconsequente. Foi muito mais interessante ver todas as coisas fantásticas sendo demonstradas por pessoas da comunidade.

Shows impressionantes de HAML, UJS, JRuby e Capistrano

HAML nos deu uma boa apresentação de como views podem ser feitas. Pode parecer meio estranho à primeira vista, mas não deixe isso enganá-lo. Assim que você internaliza o significado de %, # e . será muito bom (e você já conhece isso em boa parte de CSS). Não sei se é do meu gosto, mas adoro a atitude de pensar diferente.

Adicionalmente, não posso evitar a não ser respeitar o canadense que conseguiu prometer mais do que eu durante minha gritaria vendorista e beber cerveja ao mesmo tempo. Um exemplo perfeito da diversidade da comunidade Rails. Muito do que nos faz especiais.

Menção honrosa vai para Unobstrusive Javascript for Rails. De longe o plugin mais profissional que já vi. O pessoal por trás tem opiniões fortes e muita paixão. É excitante vê-los sendo capazes de expressar tudo isso com Rails sem a necessidade de nenhum tipo de suporte oficial. É algo que precisa ser visto.

JRuby também me impressionou. É difícil não ficar empolgado ao ver Rails rodando de forma rápida em cima de Java e fazendo chamadas a EJBs. É uma dessas coisas onde conto com minhas estrelas da sorte para que nunca precise, mas é incrivelmente legal para aqueles que estão comprometidos com um significante investimento em Java. Parabéns a Charles Nutter e sua equipe por fazerem um progresso tão rápido e à Sun por enxergar seu potencial.

Do meu próprio quintal, Jamis Buck me pegou de calças curtas com Capistrano Shell. O que eu não daria para ter tido essa funcionalidade disponivel durante minha configuração inicial do cluster da 37signals.

Se você gerencia mais de um servidor, você deve correr, não andar, para pegar Capistrano 1.2.

Kathy Sierra, _why e Dave Thomas

Provavelmente sou um dos maiores fã de Kathy Sierra. Ela é tão certa em praticamente tudo que escreve que é um verdadeiro prazer de atualizar meu leitor de notícias e ver um novo post dela do blog Creating Passionate Users.

Ter sua palestra na RailsConf foi uma honra. Ela provavelmente não poderia ter escolhido uma comunidade mais ligada a seus valores e mais ainda interessada em seu trabalho. Ela é uma oradora sensacional e causou uma grande impressão na multidão. Eu não parava de ouvir conversas sobre sua palestra durante a conferência.

Tão certo quanto Kathy foi quão engraçado _why foi. Mas não somente ele é um grande performista, também é um grande programador. Toda palestra de _why tem pelo menos algumas dicas úteis que eu não havia pensado.

E seu último trabalho em sandbox parece estelar. Torna absurdamente fácil rodar múltiplas aplicações Rails no mesmo processo Mongrel sem conflitos. Congratulações a ambos, ele e Matz, por trazer Sandbox aos trilhos para inclusão na próxima versão do Ruby.

Finalmente, Dave Thomas fechou tudo com um dos mais inspiradores discursos técnicos que já ouvi. Tentando juntar terrorismo, FUD e aspirações empresariais em um único tema compreensível requer muita habilidade. Não é surpresa que foi aplaudido de pé ao final.

E tudo mais que aconteceu

Realmente tive uma surpresa. Encontrando metade do Core Team novamente em carne e osso foi ótimo. Cumprimentar tantos programadores que encontraram paixão em Rails foi grande.

Havia um grande senso de comunidade. Apesar de muitas pequenas discordâncias e diferentes pontos de vista, parecia que todos compartilhávamos valores e gostos para a mesma estética.

E ainda é difícil acreditar que viemos tão longe, tão rápido. Que temos tantos desenvolvedores extremamente talentosos trabalhando juntos. Suficiente para encher duas conferências com múltiplos dias separados por apenas alguns meses. Verdadeiramente impressionante.

E para completar esses dois recentes brilhos de vida-real, é ótimo saber que iremos ainda mais alto ano que vem. Com a O’Reilly co-organizando ambas RailsConf US em Portland (17 a 20 de Maio) e RailsConf EU em Berlim (17 a 19 de Setembro). Cresci meio entediado de conferências em geral mas não tenha dúvidas que essas são duas que não perderei por nada nesse mundo. Espero vê-los por lá.

Para terem uma idéia de como foi a RailsConf Europe, vejam no Flickr e Technorati.

comentários deste blog disponibilizados por Disqus