Fiquem atentos: Mongrel

2006 May 18, 12:34 h - tags: mongrel obsolete

Estou no capítulo sobre Deployment de Rails em ambiente de produção. Afinal, qual a vantagem de se desenvolver um grande aplicativo, totalmente Ajax … se não sabemos como colocá-lo para o uso de nossos usuários?

The Usual Suspects são Apache2 + FastCGI, LightTPD + FastCGI. Não há muitas outras opções. WEBRick é um servidor competente para nossos testes durante o desenvolvimento mas dificilmente serve para produção.

Temos dispatch.cgi, o que significa CGI. Acredito que este suporte exista apenas para o último caso, talvez para algo próximo ao Dia do Apocalipse. Nah, CGI não é opção, esqueçam.

Mas Apache tem o mod_ruby. Também não, é um projeto pouco atualizado, instável e jamais serviria para produção.

Também temos ouvido falar de SCGI, uma simplificação do FastCGI, mas ainda é muito novo. Falta amadurecer para receber a responsabilidade de nossa produção.

Bom, então só pode ser Apache2 + FCGI. Também não. Infelizmente o projeto mod_fastcgi estava quase abandonado, tem vários problemas de deixar processos zumbis sobrando, defuntos. Não desejo esse tipo de problema para ninguém.

Chegamos ao LightTPD + FCGI, que é a opção recomendada pelo próprio David Hansson e é usado por todos os seus produtos na 37signals. De fato, Lighty vem sendo muito bem desenvolvido, tem performance e robustez quase comparáveis ao Apache e o melhor: tem um excelente suporte a FCGI. Para ambiente *nix talvez seja mesmo o ideal.

Mas e ambientes Windows? Lighty é compilado usando Cygwin e ainda é um estágio muito experimental. Não tem suporte para se instalar como um Windows Service, dependendo de produtos de terceiros. Há pouca maturidade nisso.

Mas felizmente, Zed Shaw, o criador de um suporte ao SCGI para Rails trouxe uma alternativa muito mais atraente: Mongrel. Ele é uma biblioteca e um servidor HTTP totalmente feito em Ruby. Para aqueles que não fugiram das aulas de compiladores no curso de Ciências da Computação, seu processador de HTTP foi feito com Ragel.

“Mas WEBRick também é feito em Ruby”. Acreditem, não analisei ainda para saber a mágica, mas Zed Shaw fez um milagre. Sim, o interpretador Ruby talvez seja um dos mais lentos, mesmo assim Mongrel é muito bom, e com as capacidades de cache do Rails, ele é a melhor solução hoje. Funciona muito bem em ambiente unix e também tem suporte muito bom para Windows. Pode ser instalado via RubyGems e ainda se instala como Windows Service.

Com suporte para cluster com Mongrel_Cluster, é ainda mais simples de escalar. Tanto Apache quanto Lighty tem bons suportes a proxy reverso e load balancing, o que facilita mais ainda colocar os velhos conhecidos na linha de frente e Mongrel no backend, servindo Rails. Acredito que este seja o melhor denominador comum de todas as soluções de produção.

Prestem atenção ao trabalho de Zed Shaw, ainda vem novidades por aí. Sabendo que muitos brasileiros se vêem obrigados a lidar com ambientes Windows em seus clientes, esta é uma excelente notícia a todos.

Comments

comentários deste blog disponibilizados por Disqus